Está aqui

Opinião

Não pode haver mais desculpas para os atrasos da construção do Hospital Central do Alentejo em Évora

Soubemos muito recentemente que 8 empresas manifestaram interesse e concorreram para construir o novo Hospital Central do Alentejo, em Évora, num investimento que ultrapassa os 180 milhões de euros. De acordo com o relatório preliminar da fase de qualificação, apenas uma empresa, a Acciona, cumpre todos os requisitos exigidos no concurso.

No entanto, já é publicamente conhecido que 2 das empresas preteridas no concurso para a construção do novo Hospital Central do Alentejo contestaram o respetivo afastamento.

Yoga

Yolanda gritava com toda a gente. Tinha o feitio mais execrável que havia à face da terra. Era polícia, tinha dois metros e não havia homem que a derrotasse quando entrava numa luta. Yolanda tinha nascido assim, bruta, pura, por esculpir e muito se orgulhava de assim ser.

Demografia, a “guerra” que temos de travar pelo território

“Fazer a guerra” não é hoje mais do que, para a maioria de nós, uma expressão simbólica e presença ilustrativa nos livros de gestão e de liderança. Bonaparte é, nestes casos, substituído por filósofos, gestores e estrategas dos novos tempos. Dentro dos vários pontos de observação, se focarmos a nossa análise na economia e política do território, esta expressão poderá ser empregue aos (antigos e persistentes) desafios demográficos.

Origens da gastronomia alentejana, a influência árabe na açorda

“A cozinha mais admirável é aquela capaz de conseguir um prato suculento e harmonioso utilizando somente um conjunto díspar de humildes alimentos”.

Jacinto Garcia (1999)

Ad Astra 2 – para não dizer Redux

Para as estrelas ou o cinema como reflexo de um falhanço.

Há 4 meses começou assim:

- Perante Ad Astra, o mais recente filme de James Gray, corre-se um sério risco: permitir que a voluptuosidade do olhar interior que o filme convoca se deixe abater pelo aparente paradoxo científico. Anos de vício científico e sonhos por cumprir -

Xisto

É de xisto que a minha pele é feita. É desta pedra dura mas que se divide e se adapta que a minha metamorfose existe. Dentro e fora dela, a minha pele despede-se em camadas como se lascas de xisto se tratassem.

Os meus olhos, ao acordarem no mundo e a terem consciência de mim, viram abaixo das árvores e plantas e terra, abaixo, as pedras de xisto que as acolhem, que as suportam. Tal como o xisto suporta o Alentejo, também o Alentejo me acolhe e me envolve.

Em democracia, ninguém está acima da lei

Quase um milhão de documentos entregues a uma plataforma que protege denunciantes de corrupção em África precipitaram a queda do império da mulher que espoliou um país inteiro para construir uma fortuna pessoal, apoiada nas costas do pai ditador, alavancada numa empresa pública do seu país, e amavelmente recebida por um país europeu conivente e cúmplice.

Shirley Jackson

Eis o primeiro parágrafo de We Have Always Lived in the Castle, a última novela (na verdade, o último escrito publicado em vida) de Shirley Jackson:

Whiskey com raspas de limão

Dançava como uma estrela de cinema. Fazia sapateado de forma tal que parecia envergonhar o mais profissional dos profissionais. Sabia, sem dúvida, o que fazia. E sabia fazer essas coisas todas. Era um profissional exímio das artes e da arte. O seu sonho era participar, organizar e ser a grande estrela num espetáculo a solina maior casa de espetáculos da Italiândia. A ideia estava lá e as coisas pareciam encaminhar-se para dar certo.

Esse dinheiro é nosso

Saíram esta semana várias notícias que dão conta do completo desregulamento do mundo no que toca à Economia mundial. O desregulamento, a corrupção, a ganância, facilmente leva ao surgimento de injustiças sociais atrozes e à abertura de um fosso gigantesco entre mais ricos e os outros.

Páginas