Está aqui

Opinião

Os jardins não nascem de um dia para o outro

Na minha cabeça já só andaria para frente; mas virei as costas. Foi mais forte que eu. Algo me puxou. Caí, de novo. Numa lama suja que me embrulha de uma forma, (in)felizmente, familiar.
Jamais pensaria que os meus passos se enganassem, e regressassem anos atrás. Percebi isso quando senti os meus pés a queimarem, ao mesmo tempo que o vento embalava os meus fios longos de cabelo numa balada desajeitada.

Florence Nightingale: uma mulher notável, uma pioneira na Estatística

Em pleno século XXI,  no ano em que se assinala o 200º aniversário do seu nascimento, Florence Nightingale (1820-1910) continua a ser reconhecida e admirada à escala mundial por quebrar preconceitos de género e pelo seu contributo para a modernização da enfermagem, contudo, não é de conhecimento tão amplo a forma como Florence usou a Estatística, de forma brilhante e inovadora, para fazer valer as suas ideias.

Março

Os primeiros dias do mês passaram-se calmamente. Apesar de as noites ainda parecerem de inverno, os dias eram maioritariamente cheios de sol, com algumas nuvens à mistura, tanto em Beja como na Madeira. Nesta última, o tempo esteve mais quente.

A segunda semana do mês foi atípica e os campos ficaram ensopados com a quantidade de chuva que caiu. As barragens ficaram cheias e as primeiras sementeiras estavam a ser planeadas. Lá para meio do mês a primavera chegaria, sem timidez. As primeiras flores iam aparecer e tudo voltaria a nascer. O ciclo da vida assim o determinava.

Recomendações ao Governo

A última Assembleia Municipal de Évora aprovou duas recomendações ao Governo apresentadas pelo PSD. Estas recomendações estão relacionadas com a redução das portagens na A6 e com as Infraestruturas envolventes ao novo Hospital Central do Alentejo, em Évora.

Numa das recomendações pretende-se que seja aplicada a redução das portagens na autoestrada A6 e a aplicação do Programa de Apoio à Redução do Tarifário dos Transportes (PART) entre o Alentejo Central e a Área Metropolitana de Lisboa.

Bibliotecas Itinerantes, tempos em que os livros percorriam quilómetros pelo Alentejo

Pobreza, isolamento, diferenciação social, analfabetismo e precariedade, eram traços característicos e marcantes do Alentejo profundo. Décadas difíceis de parco acesso a informação, assim foram até meados do séc. XX. Como forma de subsistência das suas famílias, pais e mães trabalhavam arduamente por esses campos, recorrendo inúmeras vezes ao auxílio dos filhos nas lides domésticas ou até mesmo laborais.

Porque defendo a criação da Casa-Museu de Florbela Espanca em Vila Viçosa

Desde 2014 que tenho desenvolvido um conjunto de iniciativas com o objetivo de trazer à discussão pública esta temática. Faz sentido a criação de um equipamento cultural que vise valorizar e salvaguardar a memória da poetisa alentejana, na terra que a viu nascer?

Penso que as opiniões sobre esta possibilidade serão unânimes. Pode discordar-se da forma ou da estratégia, mas considero que, relativamente ao conteúdo, é opinião geral que esta iniciativa faz todo o sentido.

He gmjve hi Géwev à qáuymre Irmkqe - a cifra de César

Por volta de 60 a.C. Júlio César comunicava, com os seus generais, através de mensagens codificadas com recurso a uma cifra de substituição simples.

As cifras de substituição simples são os mais antigos e elementares métodos de criptografia (codificação de informação). Têm como base uma chave, que consiste numa regra de associação de caracteres/símbolos de um conjunto pré-determinado (alfabeto de cifra), através da qual se substitui cada caracter/símbolo da mensagem a transmitir pelo seu correspondente da chave.

Confissão ao meu amor (im)possível

Mil e uma desculpas ao meu amante desconhecido. A ti. Desculpa-me.

Creio que o meu amor tem ossos frios e se esconde como o vento entre as folhas de todos os jacarandá-mimosos.

Creio que o meu amante descansa o seu corpo numa cama com lençóis frios e eu não quero verter mais lágrimas, mas eu quebro a minha alma assim mesmo.

Apanhaste-me

Apanhaste-me. Deste-me a mão e eu saí da poça em que me mantia afogada. A luz decidiu revelar-se de novo. Passado tanto tempo; cumprimentei-a. Aqueceu-me. Transmitiu-me segurança e conforto.

Sorri.

Estava numa dança lenta e apaixonada com ela.

Ainda com a minha mão entrelaçada na tua, guias-me por novos caminhos; não que eu não os tivera conhecido antes. Mas agora, observo noutra perspectiva.

Explodo gratidão. Por ti. Por nós. Pelo que temos, e iremos ter.

Jean Genet - parte 1

A pureza de uma linguagem não se mede pela sua objectividade, mas pelo grau de honestidade facilmente pressentido do autor, por assim dizer.

Páginas