Está aqui

Teatro

Festival Medieval volta a Elvas

A cidade de Elvas volta a recriar o ambiente da Idade Média, na XII edição do Festival Medieval de Elvas, que vai decorrer de 29 de junho e 1 de julho.
 
A Praça da República e a Rua da Cadeia voltam a estar animadas, com um programa direcionado para a recriação da vivência na Idade Média, e que tem início a 29 de junho, na Rua da Cadeia, seguindo o cortejo até à Praça da República, acompanhados de grupos musicais cristãos e árabes.
 

.

A cidade de Elvas volta a recriar o ambiente da Idade Média, na XII edição do Festival Medieval de Elvas, que vai decorrer de 29 de junho e 1 de julho.
 
A Praça da República e a Rua da Cadeia voltam a estar animadas, com um programa direcionado para a recriação da vivência na Idade Média, e que tem início a 29 de junho, na Rua da Cadeia, seguindo o cortejo até à Praça da República, acompanhados de grupos musicais cristãos e árabes.
 

Mourão recua a 1387 em recriação medieval de 3 dias

Mourão, uma vila raiana alentejana, junto à fronteira espanhola, encostada ao grande lago de Alqueva, está em vésperas de oferecer uma espantosa recriação histórica no seu velho castelo, ao recuar e por três dias ao ano de 1387, entre 27 e 29 de julho, revivendo o quotidiano civil e militar da época através dos ofícios e da interação com o público, com a Medievalia Mourão.

Estaremos algures no ano de 1387, século XIV, no reinado de D. João I, conhecido como o Mestre de Avis, e dois anos após a Batalha de Aljubarrota.

Ammaia Festum "faz renascer" uma cidade romana no Alentejo

A ideia foi arrojada mas esteve à altura de um dos mais relevantes vestígios da sua época no país. Falamos da cidade romana de Ammaia, fundada entre o ano 40 e 45 da era cristã, localizada em pleno Parque Natural da Serra de São Mamede, no concelho de Marvão, no Alto Alentejo, com uma área de aproximadamente 25 hectares e da vontade da Fundação Cidade de Ammaia e do município do Marvão em divulgar e valorizar o "património valioso" de toda a região.

Alentejo Central concentra cultura e criatividade numa plataforma eletrónica

Plataforma Cultural e Criativa do Alentejo Central, uma plataforma eletrónica onde estarão concentradas as actividades e agentes culturais e criativos do Alentejo Central e que é uma iniciativa que envolve 14 municípios, agregados na CIMAC - Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central, é um projeto de mapeamento, promoção e divulgação cultural e vai ser apresentado publicamente no próximo dia 21 de junho, em Évora

Extremadura espanhola celebra Dia de Portugal

A Extremadura espanhola comemora o Dia de Portugal com um amplo programa cultural, sob o lema “Vive Portugal”, que inclui exposições, concertos, cinema, literatura, artesanato e gastronomia.

Portel tem os Serões "mais belos do Alentejo", com entrada gratuita

Tive início esta quarta feira, a eclética programação que distingue os novos Serões dos Claustros da Cerca de S. Paulo em Portel, no Alentejo.

Beja recria por 4 dias "grandeza e imponência" dos tempos romanos

Beja vai recriar, entre 17 e 20 de maio, os seus tempos de grandiosidade e imponência, quando se chamava Pax Julia. O Centro Histórico daquela cidade do Baixo Alentejo vai receber a 5.ª edição do Festival Beja Romana com cortejos históricos, mercado antigo, gastronomia, espectáculos de fogo e as inovadoras oficinas que decorrem no festival, que envolvem a comunidade escolar e que vão ensinar escrita romana, destilaria de perfumes, cerâmica, mosaicos romanos, tecelagem, marcenaria, ferraria, jogos de mesa do período romano, dança, peddy paper, treino de armas e jogos de destreza.

Portel estreia espectáculo invulgar

“Porque não rirmos do que a vida tem de mais invulgar para nos oferecer?” é o mote e será ao serão que, em Portel, a arte, o humor e os petiscos se vão juntar, entre 30 de maio e 3 de junho.

Com entrada gratuita, os “Serões dos Claustros” vão abrir portas ao improviso e à descoberta de novos sons, novas representações e interpretações.

Nos Claustros da Cerca de S. Paulo, em Portel, performances de música, dança, teatro, fotografia, artes plásticas, comédia ou artes de rua, prometem um bom espetáculo.

Mur quer devolver "alma" ao Centro Histórico de Mértola

Houve um tempo em que os centros das cidades ainda não eram históricos e fervilhavam de gente e de atividade. Com a dinâmica populacional a transferir-se para novos centros dentro da cidade, os velhos centros ganharam a condição de "históricos" e têm vindo a perder as suas características originais e população, o que acelera "processos de perda de redes de vizinhança e de solidariedade familiar, contribui para a degradação do património e aumenta a probabilidade de perda de identidade".

Páginas