Está aqui

Opinião

JUSTIÇA INJUSTA

Há poucos dias atrás fui contactado através de mail por um cidadão de Évora para falar sobre questões relacionadas com "Taxas de Justiça" e "Custas Processuais" pelo lesado/vítima, mas também sobre a forma como se processa o Requerimento de Proteção Jurídica – Pessoa Singular.

Este magnifico ato de cidadania merece ser relatado. Obviamente respeitando o anonimato da pessoa em questão.

Passo a descrever de uma forma muito sucinta em várias etapas a situação em concreto:

LONGA VIDA À SUA OBRA

Comecei a acompanhar Henrique Medina Carreira em 2009, no ano em que entrei para a Faculdade. Confesso que para um jovem com 18 anos que tinha acabado de se filiar num Partido Político me fazia um pouco de confusão, ouvir Medina Carreira carregar forte e feio nos Partidos Políticos. Mas era a sua audácia, o seu rigor técnico e a sua frontalidade que me intrigavam em ver  com frequência os seus programas com Mário Crespo.

BOATOS VICIOSOS – PARTE 1

O ex-ministro da Economia Manuel Pinho escreveu um longo artigo de opinião no Jornal Público sobre o caso EDP no qual se defende do que diz ser um "boato vicioso". Pois bem, não querendo ser exaustivo relembro outros boatos viciosos mediáticos que, também, têm como denominador comum os bolsos dos portugueses.

Primeiro boato: As Parcerias Público-Privadas (PPP).

O boato Lusoponte

HISTRIONISMOS OU A HISTERIA DO QUOTIDIANO

Foi como se, de repente, tudo fosse essência.

Aqueles que convoquei toda a vida clamam agora pela minha ignorância.

O potencial da diferenciação civilizacional está a tornar-se, cada vez mais, um hino societário, um grito contra as injustiças.

O atual engajamento global, tão do desagrado de alguns, reflete-se, no espaço europeu, e à escala mundial, onde os comprometimentos, por vezes, não funcionam, as simbioses quebram-se e os individualismos crescem. Crescem tanto, que chegam a assustar.

THE KEEP DE MICHAEL MANN

The Keep (1983), Michael Mann

Um filme de horror – foi-me dado a ler num momento de acaso. Sobre o sinistro destino de um batalhão nazi perto do final da guerra. Esquecidos nos confins da Roménia, ocupam um castelo e inadvertidamente libertam uma entidade milenar e demoníaca presa nas suas catacumbas. Para a combater, procuram a ajuda disponível, um professor de História e a sua filha, não sem ironia judeus, e ainda um louco que diz saber como destruir esse demónio.

ARJAMOLHO

Fui de férias a Portugal em pensamento. Na ideia, há tanto tempo que não pisava o chão do aeroporto de Lisboa. Há muito tempo que ansiava pelo Sol de Lisboa, pelas praias do Algarve e pelas planícies douradas do Alentejo. Nos campos doirados, as árvores verdes e castanhas, algumas alaranjadas pela tirada da cortiça. No Algarve, as laranjas de Silves e de todos os lados. Algumas da baía, outras doces, tão doces em que a vitamina C se transformava em açúcar e deliciava os lábios de todos.

POUCA VERGONHA

A oposição de direita e o seu líder mudaram de estratégia.

Percebendo que no debate parlamentar a comparação entre o presente e os tempos da sua governação deixa evidente que havia alternativa à austeridade e ao caminho de empobrecimento por ele escolhido, o líder da oposição, aproveitando os jantares de apresentação de candidaturas autárquicas, vai lançando os seus ataques à governação.

OPOSIÇÃO PRECISA-SE

Passos Coelho veio esta semana afirmar que o País não pode andar à boleia do Turismo. Declarações que, de um antigo Primeiro-Ministro que aprovou o programa dos Golden Visa, um dos motivos que mais tem contribuído para a entrada de turistas no nosso País são, no mínimo incongruentes.

Mais uma vez, Passos Coelho apresenta fortes sinais de descoordenação política criticando tudo o que de positivo o Governo tem feito ou, quando a critica se demonstra sem sentido, afirmando que o resultado positivo apenas surgiu fruto ao trabalho do seu Governo.

BEASTS OF THE SOUTHERN WILD

Beasts of the Southern Wild (2012), Benh Zeitlin

 

Da estranheza (para o caso, sensação muito próxima do incómodo) ao inacreditável encantamento. Eis o percurso que nos é proposto por Benh Zeitlin em Beasts of the Southern Wild. E que título admirável este, com entrada directa para a galeria dos melhores de sempre.

O LOGÓTIPO

Cada vez que se sentava, a secretária tinha o cuidado de arrumar as folhas em pastas e as pastas em gavetas e as gavetas alinhadas no seu compartimento que era, no fundo, uma pequena coisa, comparada com o edifício todo. Parecia, uma pequena formiga num prédio que era um gigante formigueiro.

Páginas