Está aqui

Artigos publicados

Não queremos “taxa” turística em Évora

Há cerca de dois anos e meio atrás quando questionada sobre a eventualidade da Câmara Municipal de Évora (CME) poder aplicar uma taxa turística apresentei de imediato algumas reservas. Parecia-me prudente ouvir em primeiro lugar a opinião dos agentes turísticos (os empresários do setor do turismo e restauração de Évora), mas também ter a garantia clara que não estaríamos a “matar” uma potencial “galinha dos ovos de ouro”.

Incêndios Austrália vs Incêndios Amazónia 

A Austrália viveu recentemente uma das suas piores temporadas de incêndios florestais, alimentados por temperaturas elevadíssimas e meses de seca extrema.

Os incêndios na Austrália consumiram quase 8 milhões de hectares (equivalente a quase a totalidade do território português), provocaram 24 mortos e mais de 1300 casas ardidas.

A tradição já não é o que era

Sim, a tradição já não é o que era. Há muitos motivos que demonstram que a tradição mudou.

Recentemente discutiram-se na Câmara Municipal de Évora e na Assembleia Municipal de Évora os documentos previsionais para 2020, nomeadamente o Orçamento e as Grandes Opções do Plano (GOP).

Como a CDU não tem a maioria absoluta na Assembleia Municipal, necessita de negociar com outros partidos no sentido de viabilizar os referidos documentos previsionais e operacionais. Nos últimos 2 anos os documentos previsionais foram viabilizados pelo Partido Socialista (PS).

Um Natal Pobrezinho Também Por Estes Lados!

1 - A Crónica Falta de Enfermeiros no Distrito de Évora 

 

Segundo a Secção Regional Sul da Ordem dos Enfermeiros, quase todas as unidades de saúde do distrito de Évora têm falta de enfermeiros.  Um dos casos denunciado é referente ao serviço de Urgência Básico de Montemor-o-Novo que tem apenas um médico e uma enfermeira.

Situação, esta, que denunciei há quase dois anos atrás. Tudo na mesma!

A degradação do Serviço Nacional de Saúde no Distrito de Évora é uma realidade extremamente preocupante!

Évora tem de ser uma Cidade “Inteligente”

Quando habitualmente falamos em cidades “inteligentes”, internacionalmente denominadas smart cities, é vulgar pensarmos em cidades muito desenvolvidas tecnologicamente. Pensar isso, não me parece nada correto. A tecnologia é meramente instrumental para tornar as cidades mais operacionais, quer seja numa grande metrópole, quer seja numa cidade de menor dimensão.

Defender os Bombeiros de Borba também é defender as minorias

Recentemente os Bombeiros de Borba foram alvo de um ataque completamente inédito. É a primeira vez que vejo algo do género: um ataque físico aos “soldados da paz”. Que mundo louco!

Soube-se imediatamente que os responsáveis desse ataque foram um grupo de pessoas da etnia cigana. É claro, ao juntarem-se esses ingredientes a confusão ficou instalada. E a dimensão muito mais reforçada.

Para mim, pouco interessa se os responsáveis são, ou não, da etnia cigana. Interessa sim, saber se o Estado de Direito está, ou não, a ser cumprido na sua plenitude.

Acredito em Luís Montenegro como líder

Tenho grandes expectativas na candidatura do Dr. Luís Montenegro para presidente do PSD e consequente futuro Primeiro-ministro de Portugal.

Notícias pouco agradáveis

Por aí:

Sobre o esboço do Orçamento do Estado para 2020

Há poucos dias a Comissão Europeia enviou uma carta a Portugal a exigir ao ministro das Finanças para apresentar um esboço do Orçamento do Estado para 2020 revisto “o mais rápido possível” que cumpra as regras orçamentais europeias.

A Geringonça Fantasma

Vamos ter uma legislatura completamente diferente da anterior: sem Geringonça, sem Geringonça 2.0, mas com uma Geringonça Fantasma. A culpa disto tudo foram os resultados das eleições legislativas do último domingo.

Falta de visão estratégica para o Alentejo

Participei recentemente numa iniciativa organizada pela “Plataforma Alentejo – Estratégia Integrada de Acessibilidade Sustentável do Alentejo nas ligações Nacionais e Internacionais”. Na sessão desenvolvida em Évora foi realizado um importante debate sobre as acessibilidades e transportes que devem ficar inscritos no Programa Nacional da Política de Ordenamento do Território (PNPOT) e considerados no Programa Nacional de Investimentos - PNI 2030. Uma iniciativa notável!

Páginas