29 Outubro 2019      08:55

Está aqui

Migrantes combatem despovoamento em Odemira e já representam 19% da população

Odemira tem uma agenda para a questão dos migrantes e há cerca de um ano que está a implementar um plano para a sua integração, sendo que estes representam já cerca de 19% da população do concelho alentejano e "estão a contribuir para o combate ao despovoamento na região", como defende o Município alentejano.

Os migrantes representam ali 68 nacionalidades, predominando os tailandeses, nepaleses, indianos e búlgaros e, de acordo com dados do SEF - Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, no distrito de Beja, em 2017, estavam registados 8.497 migrantes legalizados, com título de residência; 58 por cento deles trabalhavam e residiam no concelho de Odemira devido à existência de várias empresas agrícolas na região e que são as principais empregadoras.

De maneira a integrar os migrantes, logo em 2015 a autarquia de Odemira lançou um plano pioneiro no Alentejo e que junta entidades públicas, empresas, organizações não governamentais e representantes de migrantes de modo a que, em articulação, seja permitido dar uma resposta adequada às necessidades dos migrantes e que responda aos desequilíbrios que se existiam na região.

O foco desta segunda parte do plano da autarquia de Odemira – em prática até agosto de 2020 - está relacionado com a capacitação dos funcionários públicos no atendimento aos migrantes, no reforço das relações com a comunidade local e no reagrupamento familiar e conta com 13 áreas de intervenção e com 32 medidas dirigidas à população migrante e comunidade local, envolvendo 41 entidades.

Os Dias da Interculturalidade enquadram-se neste plano municipal e vão ser celebrados no concelho de Odemira ente os dias 2 e 10 de novembro, com um conjunto de atividades culturais, desportivas e de partilha de experiências, que têm por objetivo valorizar a importância da "diversidade cultural existente no concelho de Odemira".

Segundo aquele município alentejano "pretende-se promover o convívio entre cidadãos migrantes e a comunidade local e sensibilizar para riqueza da Interculturalidade, com a troca de experiências e a partilha de saberes, fomentando o contacto entre diferentes culturas".

No dia 2 de novembro, será promovida a comemoração da interculturalidade pelo movimento associativo, com várias atividades a decorrer no Centro Sociocultural de S. Miguel. No dia 6 de novembro, as atividades serão dirigidas à comunidade escolar, no Colégio Nossa Senhora da Graça, em Vila Nova de Milfontes.

“Pensar Intercultural: Gentes e Cenários” é o tema do Encontro Interplataformas do Alentejo Litoral e da Península de Setúbal, que irá decorrer no dia 8 de novembro, no Cineteatro Camacho Costa, em Odemira. O evento contará com a participação de Sérgio Fernandes, Diretor do Centro Distrital de Beja de Segurança Social, e de representantes do Alto Comissariado para as Migrações, dos Planos Municipais para a Integração de Migrantes de Odemira, Seixal e Almada, do Departamento de Saúde Pública da Autoridade Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, da ACT – Autoridade para as Condições de Trabalho, do SEF – Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, do Setor Empresarial e da cooperativa Largo Residências. O encontro terá painéis temáticos com testemunhos de migrantes a viver em Portugal e sobre “Promover a Interculturalidade no Local” e “Acolher, Integrar e Incluir”.

No dia 9 de novembro, a partir das 15.00 horas, serão promovidas sessões gratuitas de capoeira e de yoga, no Jardim Público de Vila Nova de Milfontes.

Entre os dias 7 e 10 de novembro, será dinamizado um Ciclo de Cinema Documental dedicado ao tema da Interculturalidade, com sessões de cinema em Odemira, S. Teotónio e Vila Nova de Milfontes, promovido no âmbito do projeto GiraMundo da TAIPA – Organização Cooperativa para o Desenvolvimento Integrado do Concelho de Odemira.

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.