Está aqui

Greve

MINEIROS DE ALJUSTREL ENTRAM EM GREVE

Os mineiros da Somincor, do grupo multinacional canadiano Lundin Mining, em Aljustrel, avançaram com aviso de greve entre 3 e 7 de outubro. Os trabalhadores avançam para a greve por defenderem o fim do regime de laboração contínua no fundo da mina e pela progressão na carreira, como avançou o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira.

PROFESSORES DE PORTALEGRE AVANÇAM COM GREVE

O Sindicato dos Professores da Zona Sul – SPZS/Fenprof - confirma a intenção de avançar com greve dos professores a 21 de junho. Para o Sindicato de Professsores da Zona Sul esta greve "vem na sequência da falta de resposta do Ministério da Educação" em relação a reinvindicações com a reorganização dos horários de trabalho, regime especial de aposentação para os professores, vinculação extraordinária para docentes com vínculos precários e fim do congelamento das progressões nas carreiras.

GREVE FECHA MUSEUS E MONUMENTOS NA PÁSCOA

Amanhã e sábado (14 e 15 de abril), os monumentos, palácios, museus e sítios arqueológicos dependentes da Direção-Geral do Património Cultural ou na tutela direta das cinco direções regionais da cultura podem vir a ter a porta fechada. Se o seu programa de Páscoa incluía visitas a estes espaços, pode vir a ter problemas porque uma grande parte deles estará encerrada.

FALTA PESSOAL NO HOSPITAL DO LITORAL ALENTEJANO

Faltam profissionais de Hospital do Litoral Alentejano e isso já está a impedir a utilização de todo o equipamento nos cuidados intensivos.

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses revela que o Hospital de Santiago do Cacém está a trabalhar com um número de enfermeiros muito inferior ao necessário, facto que O Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (U.L.S.L.A.) também admitiu referindo que o número de Enfermeiros(as) em todo o Litoral Alentejano "está abaixo da linha vermelha".

DIREITOS COLECTIVOS VS PRIORIDADES PESSOAIS

Sou e sempre serei uma defensora do direito à greve, como fonte máxima do direito de defesa dos interesses dos trabalhadores.

Para mim, todo e qualquer trabalhador tem direito à greve na medida em que o exercício de tal direito não comprometa nem o seu futuro nem o futuro da sua entidade patronal. Pegando na já conhecida frase “a minha liberdade acaba onde começa a liberdade do outro”, podemos aplica-la a situações como a que se passa actualmente na TAP.