Está aqui

Artigos publicados

CTT - UM CASO DE PRIVATARIA

Foi o argumento mais usado para justificar a privatização de muitas empresas públicas: o Estado gere mal, os privados é que sabem.

Foi com este discurso de que o privado é que é bom que na última década vimos passar para a mão de privados sectores e empresas públicas importantes, que para além de constituírem pilares estratégicos da economia portuguesa e prestarem serviços essenciais eram empresas lucrativas para o Estado.

TRUMP, O INCENDIÁRIO

Ao anunciar o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel Trump acendeu mais um rastilho de pólvora no Médio Oriente.

É uma decisão que para além de comprometer os esforços de paz e de afrontar o povo palestiniano, viola as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas sobre o não reconhecimento da ocupação de Jerusalém oriental.

Mas é apenas mais um episódio de uma presidência desequilibrada, populista e, sobretudo, perigosa.

TRUMP, O INCENDIÁRIO

Ao anunciar o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel Trump acendeu mais um rastilho de pólvora no Médio Oriente.

É uma decisão que para além de comprometer os esforços de paz e de afrontar o povo palestiniano, viola as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas sobre o não reconhecimento da ocupação de Jerusalém oriental.

Mas é apenas mais um episódio de uma presidência desequilibrada, populista e, sobretudo, perigosa.

25 DE NOVEMBRO - PELO FIM DA VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES

É rara a semana em que não lemos uma noticia sobre a morte violenta de uma mulher às mãos do companheiro ou ex companheiro.

Nos últimos anos a média de mulheres assassinadas por violência de género tem sido de 2 mortes por mês. Este ano, até 20 de Novembro o Observatório de Mulheres Assassinadas da UMAR registou um ligeiro decréscimo no número de mulheres assassinadas, mas ainda assim já se registaram18 femicídios e 23 tentativas de femicídio.

A REALPOLITIK CHEGOU ÀS AUTARQUIAS OU AFINAL A IDEOLOGIA É UMA BATATA?

Apesar de se usar quando falamos de relações internacionais, o termo “realpolitik” tem perfeita utilização hoje quando olhamos para a realidade saída das eleições autárquicas do passado dia 1 de Outubro e para os negócios que têm sido feitos entre partidos de Esquerda e de Direita em Câmaras e Juntas de Freguesia.

Mas afinal o que é isto da Realpolitik?

O conceito de “realpolitik” é antigo. Podemos encontra-lo já em Maquiavel e ao longo da história teve adeptos como Bismark ou Kissinger.