5 Setembro 2020      12:54

Está aqui

Abutre-preto de volta aos céus alentejanos

O abutre-preto está de volta aos céus alentejanos e, este ano, já nasceram 3 novas crias.

Esta espécie de abutre é a mais ameaçada de Portugal e a notícia de que a espécie está a consolidar o seu restabelecimento no Alentejo surge quando hoje se celebra o Dia Internacional do Abutre.

O Abutre-preto (Aegypius monachus) é uma de rapina necrófaga e de grandes dimensões e era comum na Península Ibérica, nos países balcânicos, Turquia, Médio Oriente, Sibéria, China, entre outros e sofreu um forte declínio do seu número, na Europa, por volta dos anos 70.

Na Herdade da Contenda, no concelho de Moura, o abutre-preto voltou a nidificar fruto do Projeto LIFE “Habitat Lince Abutre” da Liga Para a Proteção da Natureza (LPN) e que, em 2015, criou ninhos artificiais onde os abutres-pretos se vieram a estabelecer com sucesso.

Desde o início dos anos 70, o abutre-preto extinguiu-se em Portugal devido a vários fatores como a perseguição (acusado de causar danos); a destruição do habitat de nidificação (destruição de mata nativa para florestamento, derrube de árvores durante a época de acasalamento, limpeza de vegetação rasteira, construção de novos trilhos para extração de madeira ou queimadas); o uso ilegal de venenos e os novos padrões sanitários que a União Europeia criou após o surto de Encefalopatia Espongiforme Bovina.

Quase 40 anos depois, em 2015, uma cria de abutre-preto voltou a nascer no Alentejo, de um ovo incubado por um dos dois casais de abutre-preto que nidificam em ninhos artificiais na Herdade da Contenda. À data, a LPN referiu que o nascimento desta cria "representa um sucesso das medidas" do projeto LIFE "Habitat Lince Abutre" e "marca o início do restabelecimento de um núcleo reprodutor da espécie no Alentejo, fundamental para a recuperação do abutre-preto em território nacional".

A LPN revelou esta semana que, este ano, nidificaram na herdade alentejana dez casais de abutres-pretos (um terço dos existentes em território nacional) e que o nascimento de 3 crias prova já um restabelecimento da espécie no Alentejo e em Portugal, algo que só foi possível devido aos esforços de conservação desenvolvidos pela LPN em colaboração com a empresa municipal Herdade da Contenda, propriedade da Câmara de Moura.

A liga afirma que os abutres são uma espécie extremamente importantes para manter a sanidade dos ecossistemas.

É de tal modo importante que a Wildstep Productions, de Daniel Pinheiro e Luís Pinheiro, produziu mesmo um filme documental centrado na biodiversidade da Contenda, com recurso a tecnologia 4K.

Este vídeo, co-financiado pelo Interreg V A Espanha-Portugal, no âmbito do Projeto Orniturismo, aborda a história, paisagem e biodiversidade da Herdade, com destaque para o Abutre-preto e para o projeto de conservação da espécie.

Com a duração de 8 minutos e disponível nas plataformas eletrónicas do município e da empresa municipal, o documentário revela a beleza e a biodiversidade que caracterizam a Herdade da Contenda, com cerca de 5267ha e propriedade do município de Moura.

Pela sua importância e biodiversidade, a Herdade da Contenda integra uma Zona de Proteção Especial e um Sítio de Importância Comunitária da Rede Natura 2000.

 

O filme pode ser visto em aqui https://youtu.be/1eOgTZ0YpmI

 

 

Imagem de herdadedacontenda.pt

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.