Está aqui

ambiente

Projeto LIFE LiveAdapt com mais 2M/€ para combater efeitos das alterações climáticas

As mudanças climáticas estão a ter um impacto negativo em tudo o que está diretamente relacionado com a Natureza e a indústria agrícola e pecuária, em especial no sul da Europa, não são exceção, verificando-se cada vez mais uma escassez e deterioração da qualidade da água e das pastagens, e uma erosão dos solos devido a situações de chuvas torrenciais e alterações nos padrões de pragas e doenças.

Do Alentejo aos Estados Unidos: da inspiração marítima nasce o Terras Sem Sombra 2019

A 15ª edição do Festival Terras Sem Sombra escolheu os Estados Unidos como país a convidar para edição 2019.

Com um programa que tem já cerca de 50 atividades programas, o Festival alentejano tem início já no próximo dia 26.

A edição 2019, além dos mais já conhecidos concertos, inclui ainda conferências, visitas guiadas ao património e ações de salvaguarda da biodiversidade.

Iluminação LED chega a Ourique

Serão 311 focos de iluminação pública do concelho de Ourique – em Ourique, Panóias, Garvão e Funcheira - que serão substituídas por tecnologia LED.

A iniciativa surge pela mão da Câmara de Ourique e resulta de uma parceria entre a autarquia e a empresa EDP Distribuição.

O objetivo da autarquia é a valorização do espaço público e uma maior eficiência energética e o projeto surge numa estratégia da autarquia "através de receitas próprias ou com fundos comunitários, de desenvolver o concelho e valorizar o território".

 

Imagem de pplware.sapo.pt

 

Em Alqueva nada se perde, tudo se transforma

Nas últimas décadas de agricultura no Alentejo foi dada pouca relevância à importância da matéria orgânica no solo. É no entanto esta a característica diferenciadora que permite ao solo lidar com as variações bruscas provocadas pela agricultura e, em última instância, o que permite a cada um de nós continuar ter a mesa cheia. Os solos das áreas de regadio de Alqueva apresentam classes de capacidade de uso altas mas são pobres em matéria orgânica, ou sejam, estão ainda muito longe do seu verdadeiro potencial.

Centro de Ciência do Café debate Desenvolvimento Sustentável no Alto Alentejo

Já a iniciar 2019, a 16 de janeiro, no Centro de Ciência do Café, em Campo Maior, irá ser a casa da Conferência «Desafios e Oportunidades para o Desenvolvimento Sustentável no Alto Alentejo».

“Phenomena” contra as alterações climáticas

“Phenomena”, é este o nome do concurso de fotografia que a Universidade de Évora (UÉ) está a promover sobre alterações climáticas.

Com inscrições até 31 de janeiro, é aberto à participação do público em geral e o primeiro prémio, o prémio João Corte-Real – uma homenagem ao climatologista e professor catedrático, vice-presidente do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) e que faleceu recentemente - é de dois mil euros.

Alentejo: culturas intensivas levam à extinção de plantas

Em Portugal, são já 24 as plantas nativas que já se extinguiram e corre-se o risco de cerca de mais 4 centenas seguirem o mesmo caminho, segundo a Sociedade Portuguesa de Botânica.

Há flores, árvores, fetos ou arbustos em extinção, uma delas a Onosma tricrosperma e que só existe num local específico na região de Beja – existia mais um local, mas que foi destruído para a instalação de um pomar.

Almaraz fecha em 2021?

A central espanhola de Almaraz, junto ao Tejo e a cerca de 100km dos distritos de Portalegre e Castelo Branco, cumpre 40 anos em 2021 e os movimentos antinucleares e ambientalistas defendem o seu encerro nessa data.

Esta semana, o secretário de Estado da Energia do governo espanhol, José Domínguez, realizou um anúncio importante neste sentido e referiu que o governo espanhol não prevê alargar a vida útil de nenhuma das suas centrais nucleares para além dos 40 anos.

Abatidas mais de um milhar de azinheiras no Alto Alentejo

A Quercus revela que terão sido abatidos mais de um milhar de azinheiras adultas e em bom estado, numa herdade dos concelhos de Avis e Sousel, e considera o sucedido como “extremamente grave”.

O abate terá acontecido para que se possa vir a instalar um olival intensivo e não será a primeira vez que tal acontece na região.

Ourique: alemães compram uma das maiores centrais solares portuguesas

Inaugurada há três meses, a central Ourika, foi comprada pela Allianz e representa o primeiro investimento empresa da alemã em energia solar em Portugal.

Com 46 megawatts (MW) de potência, a central fotovoltaica Ourika, em Ourique, é uma das maiores centrais solares em operação em Portugal, a par da central da Amareleja.

Não tendo sido referido o valor da aquisição, foi também assinado um contrato de longo prazo, a vinte anos, para a venda da energia produzida.

Páginas