Está aqui

Azaruja

INDÚSTRIA CORTICEIRA FOI TRAZIDA PARA O ALENTEJO POR CATALÃES DO SEC. XIX

Há uma exposição fotográfica que conta uma história não muito conhecida do Alentejo. A do papel dos catalães migrantes do século XIX e que, com o conhecimento que trouxeram então acerca da Indústria Corticeira, transformaram uma pequena vila alentejana num importante centro industrial com características muito próprias, a Azaruja.

HÁ CATALUNHA NO ALENTEJO

Foi inaugurada no sábado, no Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo, em Évora, a exposição de fotografia “Ascendência Catalã - Contributo positivo de uma migração”.

A exposição da fotógrafa e videasta Maria do Carmo Duque aborda a imigração e a presença social e económica Catalã, no Alentejo, essencialmente na vila de Azaruja, onde os migrantes se instalaram, em meados do século XIX, trazendo conhecimento da indústria corticeira e que transformou a região de Azaruja numa zona agro – industrial, com uma dinâmica socioeconómica muito própria.

GIN ALENTEJANO DESTILADO COM MÚSICA

Nasceu mais um GIN alentejano, o Neighbours11. Com origem na Azaruja, em Évora, este gin tem a particularidade de ser feito ao som de música.

Quando sai da serpentina de condensação, permanece num prato de cobre recebendo ondas mecânicas transmitidas por um sistema de som incorporado. O segredo está na banda sonora que se mantém em segredo.

ALMADA NEGREIROS ANDA PELAS FREGUESIAS DE ÉVORA

A peça de teatro “Antes de começar”, escrita por Almada Negreiros, com encenação de Rui Nuno, e interpretação de Maria Marrafa e Jorge Baião, vai andar pelas freguesias rurais do concelho de Évora. Começando na Azaruja, hoje, dia 27 de maio, às 14h30 no Espaço GURA. Uma história com coração, que mostra como é bom sonhar.