2 Fevereiro 2018      16:06

Está aqui

INDÚSTRIA CORTICEIRA FOI TRAZIDA PARA O ALENTEJO POR CATALÃES DO SEC. XIX

Há uma exposição fotográfica que conta uma história não muito conhecida do Alentejo. A do papel dos catalães migrantes do século XIX e que, com o conhecimento que trouxeram então acerca da Indústria Corticeira, transformaram uma pequena vila alentejana num importante centro industrial com características muito próprias, a Azaruja.

O objetivo da mostra é dar a conhecer e valorizar esta particularidades histórica da vila, ao mesmo tempo que cria uma dinâmica comunitária, envolvendo os descendentes dessas 53 famílias vindas de Espanha em diferentes vagas e de regiões distintas, ainda que predominem as provenientes da Catalunha.

A exposição de fotografia, de Maria do Carmo Duque, patente no Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo, em Évora aborda a imigração e a presença social e económica Catalã no Alentejo, particularmente nesta vila do distrito e conta com visitas guiadas em português, francês e inglês.

Ao sábado, nos dias 3 e 10 de fevereiro, as visitas realizam-se às 16h30, em português e, ao domingo, nos dias 4 e 11 de fevereiro, às 10h30, em português, às 11h30 em francês e às 15 horas em inglês.

A exposição é organizada por Direção Regional de Cultura do Alentejo - Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo, com o apoio do Município de Évora, Junta de Freguesia de S. Bento do Mato e Generalitat de Catalunya e estará patente ao público até dia 17 de fevereiro, de terça-feira a domingo, das 9h30 às 17h30.

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.