Está aqui

Mundo

MARIZA APRESENTA "MUNDO" EM ELVAS

A fadista Mariza sobe ao palco do Coliseu Rondão de Almeida em Elvas no próximo dia 27 de maio, num concerto especial e intimista, para apresentar o seu mais recente álbum "Mundo".

O concerto em Elvas está integrado na tournée que levará a fadista a várias cidades europeias e da América do Sul.

MARIZA PROMETE ENCHER O COLISEU DE ELVAS

Mariza, um dos nossos maiores nomes do fado, sobe ao palco no Coliseu José Rondão Almeida, em Elvas, no dia 27 de maio, pelas 21h30 para cantar "Mundo", o seu mais recente disco. Porém Ó Gente da Minha Terra, Chuva e O Tempo Não Pára também farão vibrar o público que, espera a organização, lotará aquela sala de espectáculos.

Os bilhetes serão vendidos por preços a partir dos 15 euros.

Imagem de capa da movenoticias.com

FESTIVAL DE SINES PREMIADO NO IBERIAN FESTIVAL AWARD

Um ícone do verão alentejano – no que à música e multiculturalidade diz respeito- o Festival de Músicas do Mundo de Sines (FMM Sines) foi triplamente premiado na segunda edição dos Iberian Festival Awards - que teve lugar em Barcelona, Espanha - arrecadando os galardões para Melhor Programa Cultural ibérico e o de Melhor Festival e o festival com melhor promoção turística em Portugal.

Os Iberian Festival Awards são promovidos pela Associação Portuguesa de Festivais de Música e pretende distinguir os melhores festivais que se realizam em Portugal e Espanha.

2016 UM “ANO DE LOUCOS”

Com grandes perdas

O ano de 2016 foi sem dúvida marcado por perdas, pelo desaparecimento de grandes personalidades que marcaram o século XX.

Em todas as áreas da sociedade perdemos pessoas que deram um grande contributo nas conquistas da humanidade e do país: Muhammad Ali e Cruijff no Desporto; Prince, David Bowie e Leonard Cohen na música; Almeida Santos na Política; Alan Rickman e Nicolau Breyner na representação; Umberto Eco pelos contributos historiográficos ou João Lobo Antunes e Nuno Teotónio Pereira na Medicina e Arquitectura, respectivamente.

11 DE SETEMBRO: AINDA SE VÊ O FUMO

Lembro-me perfeitamente do momento do atentado.

Era um jovem universitário a fazer zapping compulsivo na tentativa de encontrar uma desculpa para não pegar nos livros, quando – passavam uns minutos das 9:03h em Nova Iorque, 14:03h em Portugal – ao ver um pasmado José Rodrigues dos Santos, paro na RTP1 e vejo um jornalista experiente - cujas primeiras memórias me enviam para a Guerra no Golfo, estando, como tal, habituado a cenários difíceis – atónito, a tentar explicar o que estava a acontecer nas imagens que se viam em direto dos Estados Unidos.

SILÊNCIO, POR FAVOR

O mundo tornou-se um lugar caótico. – Parece ser uma afirmação simples e sucinta mas diz para além de si e para além de si é para onde nós raramente olhamos. Quando digo “o mundo tornou-se um lugar caótico” não quero dizer só isso, quero também dizer que no mundo custa respirar e custa pensar e custa viver e custa sonhar. Umas seguidas às outras as informações seguem-se, na velocidade de um carrossel desenfreado, não nos permitindo ter tempo para nelas ponderar e para as integrar no que sabemos ou não sabemos ou no que queremos saber.

AOS QUE AINDA PODEM MUDAR O MUNDO

Se não me sinto segura a culpa é da certeza que tenho um futuro a encarar – mostrar a cara ao monstro que sorri faz medo. Porque há, algures, um monstro e porque esse monstro gosta de sorrir quando me encara. Se tenho medo do futuro é porque tenho tempo para pensar no que me vou transformar. No que as minhas mãos, e os meus braços, e as minhas paciências e lutas serão capazes de trazer para o lugar da minha vida. Há, portanto, uma vida, a esperança de uma vida, o medo irracional de tão racionalizado que se transforma quase num direito de ter medo.

DIZER COBRAS E LAGARTOS

A expressão dizer cobras e lagartos é utilizada, na linguagem popular, como sinonímia de maledicência e pronúncia de comentários injuriosos.

A escolha destes animais para dar corpo à expressão não foi aleatória. As cobras e os lagartos são, frequentemente, malditos, esconjurados e difamados…

A ESCALADA DO CONFLITO ENTRE CIVILIZAÇÕES

Tem sido cada vez mais frequentes os atentados e os atos de terrorismo praticados em solo europeu, e quanto a isto, pouco temos a fazer… a maior parte deles são praticados por cidadãos dos estados membros, e não, como se quer fazer querer, por refugiados ou agentes infiltrados nas vagas de emigração para a Europa.

Não quer isto dizer que não podemos fazer nada, ou que nos devemos resignar com o que estamos a assistir… afinal, as condições, que tem favorecido o radicalismo, de gerações inteiras, são responsabilidade de todos… e as soluções a todos comprometem.

ESPECIAL ONU – UM SECRETÁRIO-GERAL PORTUGUÊS?

A ONU - Organização das Nações Unidas nasceu, oficialmente, a 24 de outubro de 1945, com o assinar da Carta das Nações Unidas, em S. Francisco (Estados Unidos) por parte da maioria dos seus 51 Estados Membros fundadores.

A criação da ONU deu-se de uma união entre nações do mundo em prol de projetos de paz e desenvolvimento comum, onde princípios como a justiça, a dignidade humana e o bem-estar de todos estão bem no centro das motivações.

Páginas