Está aqui

História

Mina de São Domingos ganha Centro de Estudos

Com o intuito de colocar anos de história de uma mina e das suas gentes ao alcance de todos, nasceu o Centro de Estudos da Mina de São Domingos.

Al Mossassa – o regresso a um Alentejo muçulmano

Será um regresso a um Alentejo muçulmano que se prepara em Marvão. À época, o Alentejo – e a maior parte do território nacional - fazia parte do império islâmico Al Andaluz e o festival Al Mossassa transportar-nos para essa época.

Será já a 13ª edição deste festival que recorda as origens de Marvão – o seu nome provém fundador árabe ibn Marwan, natural de Mérida e que foi líder militar e religioso sufista – e decorrerá de 5 a 7 de outubro.

Beja: novo projeto de escavação no Outeiro do Circo

Beja tem um novo projeto de escavação arqueológica Outeiro do Circo para 2019.

Com duração prevista para 3 anos, o projeto está em apreciação pela autarquia e prevê escavações numa área de 150 m2 – perto da muralha intervencionada em campanhas anteriores – e o foco estará na área habitacional da zona arqueológica com o objetivo de perceber com maior detalhe o quotidiano das populações que ocuparam o Outeiro do Circo durante a Idade do Bronze.

Mourão está em 1387

Este fim de semana, Mourão é uma máquina do tempo e está em 1387, século XIV, durante o reinado de D. João I, o Mestre de Avis, dois anos após a Batalha de Aljubarrota.

Em Mourão, para receber o visitante do tempo, há um acampamento civil e militar com tendas e botequins de época, torneios de armas e muita animação onde não falta nada, além de rábulas, grupos de música, grupo de danças orientais, teatro de rua, bobo, bufão, malabarista, cuspidor de fogo, mendigo e outros figurões, pode ver:

Templo Romano leva o Ministro da Cultura a Évora

“O Templo Romano de Évora” é o tema da jornada de apresentação dos trabalhos de conservação e de investigação realizados no Monumento, no ano passado, bem como da respetiva publicação científica, monográfica.

Esta apresentação decorrerá a 26 de junho, a partir das 9h30, no Auditório do Centro de Arte e Cultura da Fundação Eugénio de Almeida, em Évora, na presença do Ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes.

Miróbriga de portas abertas

O Dia Aberto do Sítio Arqueológico de Miróbriga este ano vão ser dois. Durante as manhãs, a 20 e 21 de junho, haverá entradas gratuitas e visitas guiadas.

Évora "invadida" por aviões da Primeira Guerra

“Aviação Militar Portuguesa – Grande Guerra de 1914-1918” e “Óscar Monteiro Torres” são as exposições que marcam as comemorações dos 100 anos do armistício.

Inauguradas no dia 1 de junho, as duas exposições patentes no Palácio D. Manuel.

A “Aviação Militar Portuguesa –Grande Guerra de 1914-1918” evoca os 100 anos da constituição dos Serviços de Aviação do Corpo Expedicionário Português, e centra-se sobretudo na criação da componente aérea nacional em ação durante a Grande Guerra.

Governo “salva” Casa Cidadania Salgueiro Maia com 1M/€

O Governo autorizou esta semana que a Direção Regional de Cultura do Alentejo possa proceder à instalação da Casa Cidadania Salgueiro Maia, em Castelo de Vide, com um investimento de cerca de 1 milhão de euros, na condição de ter candidatura a financiamento europeu aprovada.

A candidatura foi aprovada pela Comissão Diretiva do Programa Operacional Alentejo 2020 e este projeto terá início em abril de 2018 e estando terminado no espaço de um ano.

 

Imagem de i.pinimg.com

 

Há municípios alentejanos que querem “Portugal Romano”

Alguns municípios portugueses partilham a herança romana e querem associar-se para criar a “Associação de Municípios do Portugal Romano” e que quer promover o crescimento do sentimento de pertença entre eles, mas também o turismo.

Évora, Mértola, Alter do Chão, Beja, Monforte e Grândola são os municípios alentejanos que já se mostraram interessados em integrar a associação e juntar-se a outros municípios nacionais de modo a criar e promover uma ação cultural e social constante, e que permita o aumento dos fluxos turísticos cultural e social.

 

De Montoito para a Primeira Grande Guerra (1914-1918)

A propósito das comemorações dos 100 anos do Armistício

 

A razão pela qual as futuras linhas são dedicadas a um grupo de soldados residentes no território de Montoito prende-se, por um lado, com a forma como gostaríamos de retirá-los do silêncio, recordando-os e valorizando a sua difícil tarefa, e por outro, relembrar o que para uma boa parte da sociedade civil é o desconhecimento da participação do nosso país de forma activa neste conflito.

Páginas