Está aqui

Guadiana

Peixe do Rio e pão num festival gastronómico dedicado ao povo do Guadiana

O rio Guadiana, que percorre o Alentejo, nasce nas lagoas de Ruidera, em Espanha e percorre 810 quilometros até à sua foz no Oceano Atlântico. Os povos instalados no que é hoje o Alentejo fizeram da pesca no Guadiana e no Ardila, com redes de tresmalho e a tarrafa, uma atividade exclusivamente artesanal, essencialmente como meio de subsistência. A força motriz dos rios foi também aproveitada para a moagem dos cereais, em moinhos instalados nos cursos de água, onde se produzia o pão também para subsistência.

Mais de 13Km do Guadiana serão dragados

Serão mais de 13 quilómetros, entre Alcoutim e o Pomarão (concelho de Mértola), que vão ser dragados no rio Guadiana.

A Direção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM) já abriu o concurso para a execução da obra e que prevê um custo de cerca de meio milhão de euros.

O objetivo desta empreitada – que decorrerá durante 3 meses - é o de garantir a navegabilidade desta parte do rio Guadiana. A dragagem será feita por “water injection” [injeção de água] ou outro método sem remoção de sedimentos e será ainda colocada sinalização do canal navegável.

Jacinto-de-água fez desaparecer fauna aquática nativa em Mora

O jacinto-de-água (Eichornia crassipes), espécie exótica invasora, originário das regiões quentes da América do Sul levou já ao “desaparecimento da fauna aquática nativa” no Açude do Furadouro, Ribeira da Raia em Mora, bem no centro do Alentejo.
 

Combate no Guadiana une Portugal e Espanha

É já tido como um exemplo de cooperação internacional o combate jacinto-de-água que Portugal e Espanha têm realizado no rio Guadiana.

O jacinto-de-água é uma espécie invasora sul-americana e que tomou conta de um troço espanhol do rio Guadiana, com cerca de 150 quilómetros. Tem sido travada uma batalha para a não propagação desta planta e para evitar que a mesma chegue a território nacional.

COMBATE ÀS ESPÉCIES INVASORAS NO GUADIANA

Há um projeto no Alqueva que é caso de estudo e visa combater a proliferação de espécies invasoras no Alqueva.

Numa aliança entre a EDIA e o Instituto Politécnico de Beja (IPBeja), surge a segunda edição do "International Fieldwork" do curso "Aquatic Ecosystem Analysis".

Nesta iniciativa estão envolvidos 20 alunos de Engenharia do Ambiente da instituição de ensino alentejana e de universidades holandesas, lituanas, polacas, croatas e brasileiras.

O PEIXE DO RIO SALTA PARA A MESA EM MÉRTOLA

A edição 2018 do Festival do Peixe do Rio, no Pomarão, concelho de Mértola, já tem data marcada: 7 e 8 de abril.

Começou há já 15 anos esta iniciativa que pretende valorizar o Guadiana e as tradições culturais desta zona ribeirinha e traz assim, para a mesa, a lampreia, o muge, as enguias e entre outras iguarias gastronómicas do concelho alentejano.

A organização é da Câmara Municipal de Mértola em colaboração com várias entidades, clubes e associações.

 

Imagem de lecreusois

 

SECA REVELA ARTE RUPESTRE NO GUADIANA

Serão cinco as gravuras - que se estimam ser da época pós-paleolítica – que terão sido encontradas, na passada semana, nas margens do rio Guadiana, perto de Elvas.

A descoberta só foi possível dado o baixo nível das águas devido à seca e este raro achado arqueológico será em breve analisado pela Direção Regional de Cultura do Alentejo.

“FLUSS” GUADIANA É DESTAQUE NA ALEMANHA

A Câmara de Mértola está empenhada em dar a conhecer o concelho e o Guadiana aos alemães e está em Düsseldorf, na Alemanha, a promovê-los na feira de turismo náutico BOOT Düsseldorf Boat Show & Watersports Exhibition.

A grande beleza do “fluss” (rio em alemão) Guadiana e da sua envolvente são o foco desta iniciativa que surge de uma parceria do município com a Agência Regional de Promoção Turística do Alentejo ao abrigo do projeto "Go2Mértola", co- financiado pelo programa Alentejo 2020.

 

Imagem de goldenclube.pt

SERPA: OS LOBOS JÁ NÃO PRECISAM PULAR

A Câmara Municipal de Serpa terá em 2018 um orçamento de 22,5 milhões de euros que serão aplicados, essencialmente, no desenvolvimento e dinamização da economia e do turismo.

O investimento que mais atrativo tem causado é o que vai permitir visitar em segurança a maior cascata do sul de Portugal, no rio Guadiana, conhecida como “Pulo do Lobo”.

PEIXES EXÓTICOS AMEAÇAM ESPÉCIES NATIVAS DO GUADIANA

Com a entrada do peixe-gato-do-canal no Guadiana, que já está instalado no rio e em toda a zona de Alqueva, sobe para 11 o número de espécies exóticas naquele rio e que igualam agora as 11 espécies nativas do Rio Guadiana.

Páginas