Está aqui

Governo

Falta de turistas está a “apagar” a economia de Marvão

Marvão precisa de turistas “como de pão para a boca”, admite o presidente da autarquia, que voltou a defender a reabertura da fronteira com Espanha, frisando que a falta de turistas está a “apagar” a economia.

Em declarações à Rádio Portalegre, Luís Vitorino diz que o Governo deve tomar medidas em função da evolução da pandemia nas diferentes regiões do país, considerando que “não faz sentido manter as fronteiras fechadas”, sobretudo em territórios com baixa incidência de casos de covid-19.

Sines diz estar “pronta” para receber projetos de hidrogénio

A Câmara Municipal de Sines revelou estar pronta para receber os grandes projetos anunciados para o hidrogénio verde, que vão envolver os municípios vizinhos, nomeadamente na produção de energia solar, prometendo “novidades” para breve.

Em declarações à agência Lusa, Nuno Mascarenhas, presidente da autarquia, diz que não tem muita informação além da que vem na comunicação social (projetos de produção de hidrogénio verde para exportação que envolvem pelo menos sete mil milhões de euros) mas admite que tem tido “algumas reuniões”.

Governo sorteia casas de renda acessível no Alentejo

O Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU) vai abrir um novo concurso de renda acessível, com 54 casas de norte a sul do país. As candidaturas abrem a 7 de abril e as habitações serão atribuídas por sorteio, avança o jornal ECO.

Governo justifica exclusão de aeroporto de Beja com a distância

O porta-voz de PAN, André Silva, questionou, na passada quarta-feira, o primeiro-ministro sobre a exclusão de Beja como opção na avaliação ambiental estratégica sobre a localização do novo aeroporto de Lisboa.

De acordo com a Lusa, António Costa afirmou, na Assembleia da República, que “a grande razão pela qual não se pode colocar Beja é a seguinte: o aeroporto mais longe de um centro urbano que existe está a 66 quilómetros. Lisboa está de Beja à distância de 129 quilómetros, e isto é intransponível”.

Caminho de Santiago no Alentejo e Ribatejo é o primeiro a ser certificado

O Caminho Português de Santiago Central — Alentejo e Ribatejo (CPSC) é o primeiro a obter a certificação governamental do órgão de coordenação nacional criado para o efeito, anunciou o Ministério da Cultura.

Em resposta a uma candidatura apresentada pela Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo (ERTAR), uma portaria conjunta (n.º 120/2021) foi publicada em Diário da República, das secretarias de Estado do Turismo e Adjunta e do Património Cultural, atribuindo a certificação.

Programa Nacional de Ação criará 60 mil postos de trabalho no interior

O Programa Nacional de Ação (PNA), que vai estar em consulta pública até 21 de março, no website https://www.consultalex.gov.pt/, prevê que, até 2030, Portugal beneficiará de 60 mil postos de trabalho no interior.

Ourique prepara candidatura a programa de habitação do Governo

A Câmara Municipal de Ourique anunciou que deu início à elaboração da sua Estratégia Local de Habitação (ELH), no sentido de apresentar uma candidatura ao chamado 1.º Direito.

A autarquia explica, em comunicado, que as ELH “são instrumentais na concretização dos princípios orientadores da nova geração de políticas de habitação, impulsionada pelo Governo”, orientadas “para identificar as necessidades habitacionais, projetar um ‘futuro desejado’ e planear e monitorizar a intervenção pública no âmbito da política de habitação”.

Aposta no aeroporto de Beja com alta velocidade volta a ser defendida

A FIRMA, consultora que concede informações estratégicas para apoiar empresas e instituições, apresentou uma proposta que visa dinamizar o aeroporto de Beja, tornando-o o “Aeroporto Portugal Sul, com a criação da ligação ferroviária de alta velocidade nacional”.

Em declarações ao Dinheiro Vivo, Bernardo Theotónio-Pereira, fundador da FIRMA, explica que esta é “uma proposta concreta e viável focada no combate à desertificação do território nacional e na eficiente utilização dos recursos existentes”.

Barragens alentejanas vão ter melhores condições de segurança

O Governo homologou, esta terça-feira, 30 candidaturas que visam a elaboração de projetos e estudos ligados à melhoria das condições de segurança de barragens, num investimento público que ascende a mais de 1,2 milhões de euros.

Governo quer erradicar problemas habitacionais de 14.705 famílias

A Câmara Municipal de Évora e a HabEvora, empresa de habitação municipal, assim como outras 24 câmaras, assinaram contratos com o Governo para resolver os problemas habitacionais de 14.705 famílias, num investimento de 710 milhões de euros, avança o Público.

De acordo com o jornal, o Governo quer resolver os problemas de carências habitacionais a 26 mil famílias até 2024 através do programa que apresenta no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), onde inscreve os 1251 milhões de euros que pretende ir buscar em subvenções para executar o programa de apoio ao acesso à habitação.

Páginas