6 Novembro 2019      14:19

Está aqui

Quebra nacional na reciclagem. Baixo Alentejo pode ter encontrado a solução

A Resialentejo, empresa intermunicipal responsável pelo Sistema de Tratamento e Valorização de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) do Baixo Alentejo está a implementar um sistema de tarifas inovador na medida em que passará a aplicar tarifas de gestão de resíduos associadas à produção de resíduos indiferenciados, em vez de as aplicar no consumo de água, o que vai tornar o tratamento de lixos mais barato para o consumidor e aumentar a reciclagem, que está em queda por toda a europa.

A primeira fase do projeto piloto “PAYT” (Pagar pelo Produzido), que viu aprovado o financiamento pelo POSEUR em 85% e que vai custar 395 mil euros, abrange um universo de 7 mil pessoas, dos concelhos de Barrancos, Beja, Mértola, Moura, Ourique e Serpa.

Segundo os últimos dados disponíveis publicados na edição de hoje do Jornal de Negócios, a reciclagem em Portugal caiu 16,3%, tratando-se da terceira maior queda da UE. Portugal reciclou 34,9% das embalagens de plástico que consumiu em 2017, menos do que no ano anterior. A queda é a terceira maior da União Europeia, que também viu a reciclagem de plástico diminuir. A reciclagem de embalagens de plástico diminuiu 16,3% em 2017, o que coloca Portugal entre os países da União Europeia (UE) que mais viram a taxa cair face ao ano anterior. Numa publicação divulgada ontem, o Eurostat, o gabinete de estatísticas da UE, apresentou a taxa de reciclagem de embalagens de plástico dos 28 Estados-Membros. Em Portugal, pouco mais de um terço (34,9%) das embalagens de plástico foram recicladas em 2017. O valor coloca Portugal abaixo da média da UE - que ronda os 42%.

O PAYT é apresentado em Moura a 28 de novembro e é um modelo em que os cidadãos pagam apenas pelo lixo produzido, pretendendo-se com este sistema beneficiar todos os que realizam corretamente a separação de resíduos. Para além de ser um estímulo à reciclagem, este sistema pretende ser mais justo para o cidadão, que pode ver deste modo o seu esforço recompensado, já que quanto mais reciclar, menos vai pagar pelo seu lixo. Assim, os cidadãos apenas irão pagar os sacos destinados aos resíduos indiferenciados, que poderão adquirir na Câmara Municipal de Moura, enquanto que os sacos destinados aos resíduos recicláveis são gratuitos. Com o objetivo de apresentar este projeto à população, o Município de Moura e a RESIALENTEJO realizam uma sessão pública no Cine-teatro Caridade, no dia 28 de novembro, pelas 21:00.

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.