Está aqui

Baixo Alentejo

Baixo Alentejo atualiza tarifas de passes rodoviários em julho

A Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo (CIMBAL) acaba de anunciar que as novas tarifas de passes rodoviários começam a ser aplicadas a 1 de julho nos treze municípios do Baixo Alentejo.

De acordo com a CIMBAL, citada pelo jornal Sul Informação, estas novas tarifas são apoiadas pelo PART – Programa de Apoio à Redução Tarifária, suportado pelo Fundo Ambiental, e serão aplicadas nos percursos previstos na concessão do Transporte Rodoviário Intermunicipal do Baixo Alentejo, iniciada no início do corrente ano.

Baixo Alentejo apresenta piores resultados na educação

O relatório “Resultados Escolares: Sucesso e Equidade”, publicado recentemente pela Direção-Geral de Estatísticas de Educação e Ciência (DGEEC), revelou que as escolas da região do Baixo Alentejo obtêm resultados menos positivos quando comparados com as escolas do Norte do país, no que diz respeito aos 1.º, 2.º e 3.º ciclos de ensino.

Baixo Alentejo tem novos autocarros a circular

Os municípios do Baixo Alentejo já têm novos autocarros, mais modernos e com internet a bordo, a circular, adianta a Rádio Pax.

Segundo a mesma fonte, esta medida é resultado da atribuição da concessão do serviço público rodoviário de passageiros em todos os municípios da região à Autocarros do Baixo Alentejo (ABA), por parte da Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo (CIMBAL), no âmbito de um concurso público internacional.

Municípios do Baixo Alentejo querem minimizar efeitos da seca

O presidente da Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo (CIMBAL) revelou que os municípios estão disponíveis para colaborarem na adoção de medidas que permitam “minimizar o uso da água, nomeadamente na rega de jardins e espaços verdes, lavagem de ruas, entre outras”.

A informação foi avançada à Rádio Pax, aquando da reunião da Sub-Comissão Regional da Zona Sul da Comissão de Gestão de Albufeiras, realizada na semana passada, onde foi abordado o problema da seca.

Seca: agricultores do Baixo Alentejo reclamam apoios ao Governo

A Federação das Associações de Agricultores do Baixo Alentejo (FAABA) alertou que a seca está a afetar “gravemente” a atividade agropecuária da região e reclamou medidas do Governo para apoiar os setores mais afetados.

Em comunicado citado pela agência Lusa, a FAABA manifesta “a sua grande preocupação relativamente à agricultura de sequeiro, à pecuária extensiva e também à falta de reservas hídricas, quer para o abeberamento animal, quer para o regadio”.

Escassa chuva prejudica pastagens no Baixo Alentejo e Alentejo Litoral

As previsões agrícolas realizadas pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a 30 de novembro, apontam para “a manutenção, face à campanha anterior, da superfície de cereais praganosos, nomeadamente de aveia, o de instalação mais precoce”.

Baixo Alentejo está em risco de se tornar zona desértica

Nuno Lacasta, presidente da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), alerta que o Baixo Alentejo está em risco de se tornar numa zona desértica.

De acordo com a Rádio Pax, o responsável falava no Seminário “Baixo Alentejo Território Sustentável”, organizado pela Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo, que decorreu no passado dia 10 de dezembro.

Segundo os estudos já realizados, no âmbito das alterações climáticas, num cenário mais gravoso e se nada for feito, o Baixo Alentejo será das zonas do país com maiores consequências.

Baixo Alentejo já tem centro para colocar bombas de insulina em diabéticos

A Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) começou, na passada segunda-feira, a colocar bombas de insulina em pessoas com diabetes tipo 1, num centro que criou e é o único no Alentejo que serve todos os grupos etários.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a administração da ULSBA refere que as bombas de insulina começaram a ser colocadas em três jovens no novo Centro de Tratamento de Dispositivos de Perfusão Subcutânea Contínua de Insulina da sua Unidade Integrada de Diabetes, instalada no hospital de Beja.

Baixo Alentejo e Algarve em seca severa no mês de outubro

Portugal continental registou, em outubro, face ao mês anterior, uma diminuição da área em seca meteorológica no Alto Alentejo, mas registou um aumento da intensidade no Baixo Alentejo e Algarve, com alguns locais na classe de seca severa, indicam os dados do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Vespa Asiática fora de controlo. Já só escapam Baixo Alentejo e Algarve

A espécie exótica predadora de abelhas invadiu o Norte e o Centro do País, já chegou ao distrito de Lisboa e depois espalhou-se pelo Alentejo, não tendo ainda sido registada a sua presença apenas no Baixo Alentejo e Algarve.

Páginas