Está aqui

Resialentejo

Resialentejo estuda sistemas de recolha de biorresíduos para Baixo Alentejo

A empresa intermunicipal Resialentejo está a elaborar um estudo para o desenvolvimento de sistemas de recolha de biorresíduos nos concelhos de Almodôvar, Barrancos, Beja, Castro Verde, Mértola, Moura, Ourique e Serpa.

De acordo com o Correio Alentejo, este projeto tem o apoio do Fundo Ambiental, está a ser desenvolvido em parceria com as câmaras municipais e tem como objetivo “definir um plano de ação conjunto para os oito concelhos para a gestão dos biorresíduos produzidos na região, atendendo às especificidades de cada um”.

Aterro sanitário em Beja prepara-se para os próximos 30 anos

Com um investimento de perto 2 milhões de euros a Resialentejo vai ampliar o seu aterro sanitário próximo de Beja.

A empresa intermunicipal serve oito concelhos: Almodôvar, Barrancos, Beja, Castro Verde, Mértola, Moura, Ourique e Serpa, o que equivale a uma área geográfica de 6.650 Km2 e cerca de 95.866 habitantes.

ResiAlentejo investe 2 milhões de euros em novo aterro

A Câmara Municipal de Beja, na sua última Assembleia Geral, deliberou o aumento do capital social da ResiAlentejo, de forma a poder construir-se, com carácter de urgência, um novo aterro com um custo estimado de 2 milhões de euros, avança a Rádio Pax.

Esta decisão surge na sequência de o aterro estar próximo de atingir o seu limite. De acordo com o presidente da Câmara Municipal de Beja, “para construção de aterros não existe qualquer tipo de financiamento comunitário ou nacional, pelo que o valor de investimento tem de ser suportado pelos municípios associados”.

População do Baixo Alentejo está a reciclar mais

A empresa intermunicipal Resialentejo recebeu cerca de 5.140 toneladas de resíduos de embalagens em 2020, o que significa um aumento de mais de 616 toneladas (13,6%) em relação ao ano anterior.

De acordo com o Correio Alentejo, os resíduos de papel/cartão foram os mais recolhidos, com 2.033 toneladas (mais 283 toneladas que em 2019), seguindo-se o plástico/metal, com 1.752 toneladas (mais 239 toneladas que em 2019) e o vidro com 1.354 toneladas (mais 93 toneladas que em 2019).

Em Moura só paga pelo seu lixo

Está para breve a segunda fase de implementação do projeto PAYT – Recolha Porta-a-Porta no bairro do Sete-e-Meio, em Moura.

A Câmara Municipal de Moura e a Resialentejo vão avançar, em setembro, e, numa sensibilização estará no terreno uma equipa de técnicos porta-a-porta, irá estar uma equipa de técnicos credenciados para realizar uma ação de sensibilização de modo a esclarecer a população sobre o funcionamento do sistema e os procedimentos que devem r adotados.

Campanha de esterilização de animais decorre no Alentejo

Decorre, em alguns concelhos do Alentejo, uma “Campanha de Esterilização de Animais de Companhia” e que pretende controlar a população de animais vadios e errantes, mas também combater o abandono de animais.

Responsabilidade do CAGIA - Canil/Gatil Intermunicipal da RESIALENTEJO esta campanha abrange todos os cães e gatos cujos proprietários residam nos concelhos da área de intervenção da RESIALENTEJO: Almodôvar, Aljustrel, Alvito, Beja, Castro Verde, Cuba, Serpa, Moura, Ourique, Vidigueira e Reguengos de Monsaraz.

Baixo Alentejo faz balanço positivo na recolha de resíduos porta a porta

Para mais de 7000 habitantes dos municípios de Barrancos, Beja, Mértola, Moura, Ourique e Serpa a recolha, tratamento e valorização de resíduos é feita pela empresa intermunicipal Resialentejo, e que desenvolveu e implementou um projeto de recolha de resíduos porta a porta.

Agora, cerca de dois meses depois, foi feito um balanço que a empresa considerou “bastante positivo” a vários níveis como no do incremento da quantidade de materiais recicláveis recolhidos e na adesão dos munícipes.

Baixo Alentejo testa recolha de lixo porta a porta

A RESIALENTEJO, empresa que gere os resíduos no Baixo Alentejo, abrangendo os concelhos de Almodôvar, Barrancos, Beja, Castro Verde, Mértola, Moura, Ourique e Serpa, que no total corresponde a uma área geográfica de 6.650 Km2 e cerca de 95.866 habitantes, já lançou esta semana uma experiência piloto de recolha de lixo porta a porta a 4500 lares e cerca de 7000 pessoas dos concelhos de Barrancos, Beja, Mértola, Moura, Ourique e Serpa. 

Castro Verde é quem mais recicla no Baixo Alentejo

Do conjunto dos municípios do Baixo Alentejo que integram a empresa intermunicipal de tratamento e valorização de resíduos, a Resialentejo, Castro Verde continua a ser o município que mais recicla, com 50 quilos de resíduo por habitante, dados que contemplam o período que vai de 1 de janeiro a 30 de novembro de 2019. Pelo menos desde 2017 que aquela reserva da biosfera é quem mais recicla no Baixo Alentejo.

A Resialentejo serve os concelhos de Almodôvar, Barrancos, Beja, Castro Verde, Mértola, Moura, Ourique e Serpa.

 

Imagem de capa de Luís Barra

 

 

Quebra nacional na reciclagem. Baixo Alentejo pode ter encontrado a solução

A Resialentejo, empresa intermunicipal responsável pelo Sistema de Tratamento e Valorização de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) do Baixo Alentejo está a implementar um sistema de tarifas inovador na medida em que passará a aplicar tarifas de gestão de resíduos associadas à produção de resíduos indiferenciados, em vez de as aplicar no consumo de água, o que vai tornar o tratamento de lixos mais barato para o consumidor e aumentar a reciclagem, que está em queda por toda a europa.

Páginas