17 Janeiro 2017      11:51

Está aqui

OPORTUNIDADES PERDIDAS PARA MOURÃO

Hoje, não podem restar dúvidas que este meu Município não tem conseguido, ao longo dos anos, aproveitar e recriar as oportunidades que foram surgindo (ex.: potencial turístico do Alqueva), mas pior, não soube atrair investimentos, diferenciando-se e explorando corretamente as suas potencialidades.

Não foi assim durante os mais de 20 anos ininterruptos de governação socialista à frente das lides do Município. E durante muito tempo, não foi a falta de dinheiro que ditou um rumo poeirento para o Concelho, mas sim as opções politicas tomadas pelo próprio PS.

Publicado recentemente o Anuário Financeiro dos Municípios para 2015, que mostra a saúde financeira dos Municípios, além de outros indicadores evidenciados, foco-me apenas na taxa de execução da receita e de investimento. No primeiro caso, significa se as previsões dos serviços Municipais estavam corretas e se a Autarquia amealhou tudo o que previa. Bem, com uma taxa de 54,5% no que à execução da receita diz respeito, ficamos em antepenúltimo no ranking do Distrito de Évora. Que quer isto dizer? Parece-me claro que ao longo dos anos a estratégia do PS é a do empolamento para permitir a contratação de mais despesa... Que surja a sensibilização para a sustentabilidade financeira e para uma lógica de longo-prazo que advogue uma visão clara e bem definida para aquilo que queremos para este Concelho.

Em segundo, o investimento, isto é, através das receitas geradas, qual a transposição efetiva para investimentos potenciadores de ganhos sociais ou mesmo de competitividade regional, a título de exemplo. A percentagem mais baixa de todo o Distrito de Évora, uns tímidos 1,3%. Mas parece que só este ano, em ano de eleições, e após o escrutínio da oposição, é que é complicado executar projetos candidatos a fundos estruturais... E todos os outros anos de governação?

Parece que tem que ser sempre assim com os principais investimentos em Mourão. Primeiro levam anos a serem decididos, depois dividem-se em fases e, finalmente, quando chega à hora da execução, alguns são reduzidos e outros até são cancelados.

Por isso mesmo, e no contexto atual, vai agora prevalecer a sobrevivência até às autárquicas com o registo verbal do maldizer e do facilitismo retórico, atirando a culpa sempre para “outros”. Esta estratégia de sobreviver cada dia, empurrar os problemas e as dificuldades mais para frente, mesmo sabendo que elas não desaparecem, é impor uma vida cada vez menos condigna para todos os habitantes do Município.

Olho para esta terra, sonho com a política naquilo que ela devia ter de mais nobre e que é a proximidade e a concretização do real e vejo-a vazia. Vejo apenas um mero trampolim que teima em repetir os erros do passado, sem a vontade de consolidar um futuro mais animador para a região.

A má vontade do PS em relação ao nosso Concelho só pode ter uma razão: esta gente não gosta de Mourão!

 

Imagem de capa de evoracapitalentejana.wordpress.com

1 Comment

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.
Jose Ramalho (não verificado)    9 meses 5 dias
Comentário: 
Parar de vez com as mentiras