5 Setembro 2020      10:52

Está aqui

Novo sumo da Compal nasce de um segredo alentejano

Era um segredo bem conhecido dos alentejanos que, desde sempre, foram muito apreciadores das qualidades e propriedades dos figos da Índia.

Este fruto é conhecido por vários nomes: piteira, tabaibo, figo do diabo etc. mas mais conhecido é mesmo por figo da Índia (Opuntia ficus-indica).

Nasce num cato que cresce em regiões semiáridas, como o Alentejo, e existe há cerca de 9000 anos, sendo que, em algumas culturas sul-americanas, a sua importância é equiparada à do milho. Presume-se que tenha chegado à Europa por volta de 1500, pela mão de navegadores espanhóis.

A figueira da Índia, é um cato suculento, ramificado e grande. Pode chegar aos 3 metros de altura e os ramos são achatados. As flores são amarelas ou laranjas, como os frutos que se destacam pela sua suculência e por serem ricos em açúcar, potássio, magnésio, cálcio e vitaminas C, A, B1 e B2. São utilizados no fabrico de alguns produtos farmacêuticos – sobretudo para o tratamento de doenças urinárias, das vias respiratórias ou como diurético – e das sementes extraem um óleo, algo semelhante ao "aloe vera", e que é utilizado para produtos de cosmética.

Por cá, no Alentejo, são acompanhamento de várias comidas como o gaspacho ou a sopa de tomate.

As flores – após estarem secas – faz-se chá, e quem nunca bebeu a seiva de uma folha aberta, onde se deita açúcar em quantidades generosas, e que, de pois de fechada, atada, pendurada e deixada a pingar faz milagres contra a tosse?

Pode comer-se de várias formas, fresco ou seco, mas também em sumos ou até bebidas alcoólicas e, apesar de sempre ter sido consumido em Portugal de forma esporádica e por pouca gente, em 2009, a cultura do Figo da Índia conheceu um enorme crescimento e foi até criada uma associação para os proteger, a AFROFIP.

Têm sido produzidas cerca de 80 toneladas de figos da Índia por ano, e a conhecida marca nacional de sumos, a Compal, lança agora um sumo com sabor Figo da Piteira do Alentejo, oriundo de Cortiçadas de Lavre, concelho de Montemor-o-Novo.

Não perca a oportunidade de o provar; esta uma fruta tem um sabor único, e tem um aspeto hostil, cuja polpa e sabor são difíceis de caraterizar.

Caso se cruze com este fruto, cuidado, não os agarre logo; têm picos e é preciso saber comê-los. Assista a este vídeo e perceba como fazê-lo.

 

Imagem de alimentos.com.br

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.