10 Outubro 2015      12:48

Está aqui

GINES PASTOR NO FÓRUM EUGÉNIO DE ALMEIDA

Empreendedorismo social, negócio social, economia social.
 
Persiste um certo preconceito com estes conceitos, que parecem encerrar em si um paradoxo ou uma incompatibilidade "moral", eventualmente justificada pela matriz judaico-cristã da cultura europeia, que coloca no plano amoral o ganho, distinguindo-o do que são as necessidades sociais. 
 
Mas não é possível continuar a contornar o problema na medida em que é crescente o número de iniciativas voltadas para o bem comum e que representam uma oportunidade de negócio. Em todo o mundo.
 
Será difícil nomear uma qualquer cidade, mesmo no mais desenvolvido ocidente, onde não persistam problemas sociais que envolvem objectivamente políticas públicas. Esses problemas podem representar oportunidades de empreendimento com o objectivo de melhorar o meio onde vivemos, através do investimento social. E onde há oportunidades, há empreendedores com ideias inovadoras e capacidade de agir, em projectos que envolvam a sociedade. E onde tem que haver um conjunto cada vez mais amplo de empresas com responsabilidade social.
 
O estado da arte desta nova abordagem aos problemas sociais e na procura de soluções coloca-se neste momento na construção de redes entre empreendedores sociais de todo o mundo e na partilha entre si de experiências, ideias e resultados que se pretendem multiplicados até a sua generalização. Tomemos como exemplo o Movimento IDUN, uma rede de profissionais que mobiliza e partilha as suas competências e experiências para construir e desenvolver projectos, eventos e iniciativas inovadoras.
 
Esta rede ajuda a construir start-ups, organizações e carreiras profissionais voltadas para o bem comum, promove soluções sustentáveis ​​para o empreendedorismo e inovação social para os problemas e necessidades de sociedade e define muito objectivamente como propósito maior a felicidade e ligação aos outros e o resultado entre o que se gosta de fazer, o que se faz bem, o que se recebe por isso e do que necessita o mundo. E como?
 
A conferência Empreendedorismo e Inovação Social em Rede Pelo Bem Comum - O caso do Movimento IDUN, no Fórum Eugénio de Almeida, em Évora, a 5 de Novembro, é uma boa oportunidade para saber como, até porque conta com Gines Haro Pastor, fundador do movimento, consultor e formador em empreendedorismo e inovação social, com um longo percurso internacional e um conjunto amplo de distinções na área social, como por exemplo a RSA Fellow UK.
 
Gines Haro Pastor deu início a projetos e empreendimentos sociais em países como Equador, Reino Unido e Espanha. Para além disso tem participado em programas em universidades de prestígio, como Navarra, Mondragon University College London (UCL); instituições como a AECID (Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento da Andaluzia) ou ligados a Organização das Nações Unidas ONG WYSE internacional.
 
No The Guardian trabalhou na criação da rede dos maiores empreendedores sociais do mundo. Através de seu trabalho tem tido a oportunidade de trabalhar e entrevistar centenas de empreendedores sociais, incluindo alguns dos mais reconhecidos como o vencedor do Prémio Nobel Muhammad Yunus.
 
As inscrições para a conferência são gratuitas, mas estão sujeitas a inscrição prévia até dia 31 de Outubro e estão limitadas à capacidade do auditório onde decorrerão. Elas podem ser feitas aqui.
 
 
 
CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.