Está aqui

Rota Vicentina

BTT: Costa Vicentina com 1200kms de trilhos

Estão a ser criados mais 720 quilómetros de trilhos de BTT para fazer aumentar a “Rota Vicentina” para os 1200 quilómetros.

Esta rota terá duas temáticas: o Caminho Histórico e o Trilho dos Pescadores.

A grande maioria destes trilhos são no concelho de Odemira, que prepara cinco sessões públicas de modo a apresentar o projeto e a recolher contributos em Odemira (a 10 de abril), em S. Teotónio (12 de abril) em Santa Clara-a-Velha (13 de abril), em Colos (19 de abril) e em S. Luís (20 de abril).

LITORAL ALENTEJANO: ROTA VICENTINA VAI DUPLICAR DE TAMANHO

A Rota Vicentina, que já tem uma certificação europeia para os seus percursos, é constituída por uma rede com cerca de 400 quilómetros de trilhos pedestres pelo Alentejo litoral até ao Algarve e agora prepara-se para uma nova fase de expansão, passando a incluir produtos de turismo cultural, trilhos de BTT e turismo acessível, projectos que vão ser desenvolvidos nos próximos dois anos e com financiamento comunitário do Portugal 2020.

ROTA VICENTINA PREVÊ AUMENTO DE 300% NO TURISMO

As versões francesa e alemã do website da Rota Vicentina já estão on-line e vai servir para promover região, divulgando os caminhos pedestres do sudoeste alentejano.

Estes são dois dos mercados mais atrativos, com maior potencial e que mais têm procurado esta região, o que justifica a aposta da a Associação Rota Vicentina, que, no seu site, no ano anterior, contou com cerca de 500 mil visitas no último ano – mais 70% que em 2014 – sendo que 22% são feitas por franceses e alemães.

ROTA VICENTINA CONQUISTOU CERTIFICAÇÃO EUROPEIA

A rede de percursos pedestres Rota Vicentina já é certificada “Leading Quality Trails – Best of Europe”, atribuída pela ERA (European Ramblers Association), a entidade máxima a nível europeu na organização do sector dos percursos pedestres.

Pode mesmo falar-se em conquista já que se trata de uma certificação muito exigente porque avalia não só a qualidade do percurso, como a paisagem, os serviços turísticos associados, a informação disponível, a sinalética e até a qualidade do piso.