Está aqui

homenagem

Vhils homenageia agricultores com retrato de mulher ceifeira na Comporta

O artista Vhils criou um retrato gigante de uma agricultora em homenagem a trabalhadores e agricultores, na Quinta da Comporta.

Alexandre Farto retratou uma ceifeira do arroz num muro da Quinta da Comporta, descrevendo a obra como “um símbolo das gerações que ajudaram a moldar esta paisagem fértil ao longo dos séculos, ajudando a preservar a sua memória e importância para o futuro”.

Motards de Portalegre em homenagem aos que combatem o vírus

Hoje, sábado 23, dia em que a cidade de Portalegre celebra 470 anos, o Grupo Motard portalegrense “Novo Milénio,” vai realizar o tradicional “Passeio de Tochas” em homenagem a todos os profissionais que estão na linha da frente da luta ao Covid-19.

Com início marcado para 20:45, junto às instalações do Grupo Motard Novo Milénio, no Kartódromo Municipal de Portalegre, o cortejo vai passar junto das instituições onde trabalham os referidos profissionais: a sede do CDOS, a Cruz Vermelha, os Bombeiros, a PSP, a GNR e a Câmara Municipal, terminando junto ao Hospital de Portalegre.

Castelo de Vide homenageia Salgueiro Maia com novo monumento

Salgueiro Maia cumpriria 75 anos em 2019 e a terra que o viu nascer, Castelo de Vide, vai prestar~lhe uma homenagem com um monumento: uma Chaimite V200.

A chaimite é também um símbolo da revolução de abril de 74 e são míticas algumas das imagens de Salgueiro Maia junto de chaimites, sendo mesmo de cima de um destes veículos que o capitão alentejano falou à multidão, junto ao Quartel da GNR, no Largo do Carmo, em Lisboa, fazendo um ultimato a Marcelo Caetano.

Portalegre homenageia Adriano Moreira e classifica-o de “grande humanista” e “senador de Portugal”

Na próxima sexta, 22, em Portalegre, o Professor Doutor Adriano Moreira será homenageado.

No auditório Dr. Francisco Tomatas, na ESTGP, Adriano Moreira – ex-Ministro do Ultramar durante o Estado novo e deputado e presidente do CDS, após o 25 de Abril - irá proferir uma conferência intitulada "Conciliar o Mundo".

Este será o pontapé de partida para o início do Ciclo de Conferências "Politécnico da Primavera", um ciclo que durará até maio e que pretende contribuir e promover o Desenvolvimento e a Cultura.

CAMPO MAIOR HOMENAGEIA COMBATENTES

O núcleo de Campo Maior da Liga de Combatentes homenageia, este sábado dia 11, O Dia do Armistício, o dia que marca o fim da 1ª Guerra Mundial e o 43º aniversário do fim da Guerra do Ultramar.

A iniciativa, que conta com o apoio da autarquia local, decorreu junto ao monumento do combatente - inaugurado em agosto, numa cerimónia presidida pelo Ministro da Defesa Nacional, José Alberto Azeredo Lopes - onde serão homenageados os que caíram em combate e conta com as habituais alocuções, depósito de flores e cerimónia religiosa, na presença de muitos ex-militares e instituições.

ODEMIRA MANTÉM AMÁLIA VIVA

O concelho de Odemira não esquece a o nome maior do Fado português, Amália Rodrigues, e mantém viva a memória da fadista que tinha no concelho a sua residência de férias e onde existe até uma praia com o seu nome.

Uma parceria entre o Município de Odemira e a Fundação Amália Rodrigues, promove “Odemira recorda Amália”, um evento evocativo e de homenagem e que é composto por diversas ações que decorrerão a 6 e 7 de outubro em Brejão, localidade onde se situa a casa de férias de Amália.

MOURA HOMENAGEOU SOLDADOS DA Iª GRANDE GUERRA

Contaram-se 100 anos a 30 de janeiro desde o dia em que Moura viu partir 6 soldados deste concelho, rumo a França, para integrarem o Corpo Expedicionário Português - a principal força militar que Portugal enviou para a Guerra – e que participou na Iª Grande Guerra.

REGUENGOS DE MONSARAZ CELEBRA ELEVAÇÃO A CIDADE

a próxima terça-feira, 8 de dezembro, Reguengos de Monsaraz (Évora) celebrará o 11.º aniversário da elevação à categoria administrativa de cidade.

Relembrar Florbela

Nos dias seguintes ao dia mundial da poesia, e na falta de qualquer evento evocativo por parte da Câmara Municipal da cidade onde passou grande parte da sua vida, sinto-me na obrigação de relembrar Florbela.

Corrijo-me, não é uma obrigação, mas sim uma necessidade. Necessidade de, enquanto eborense relembrar um dos maiores marcos da poesia nacional que tão precocemente nos deixou.