10 Maio 2021      10:02

Está aqui

CP ainda não encomendou novos comboios para linhas regionais

A CP foi autorizada a comprar 22 novos comboios para o serviço regional em setembro de 2018, contudo, o novo material circulante ainda não foi encomendado, esperando-se que as 22 unidades apenas cheguem no final de 2024.

De acordo com o Dinheiro Vivo, a primeira aquisição de novos comboios está parada no Tribunal de Contas (TdC), que aguarda mais esclarecimentos da empresa pública ferroviária.

Prevê-se que a CP irá comprar os 22 novos comboios aos suíços da Stadler, que ganharam o concurso com uma proposta avaliada em 158,14 milhões. Assim, das 22 novas automotoras, 12 serão híbridas e poderão funcionar a diesel ou debaixo de catenária, enquanto as restantes 10 unidades serão exclusivamente elétricas.

Estas novas composições vão circular em linhas regionais como Douro, Algarve, Oeste e ainda em Évora e Beja. As unidades híbridas deverão ser usadas nos troços Casa Branca-Beja (linha do Alentejo) e Régua-Pocinho (linha do Douro), que não estarão eletrificados no final de 2024.

O Flirt 160 foi o modelo escolhido pela empresa suíça para entrar neste concurso, um comboio regional com um só piso, que pode ser facilmente personalizado às necessidades da CP. Esta automotora pode utilizar entre duas e oito carruagens, estando preparada para circular com tração elétrica, híbrida ou exclusivamente a diesel. O comboio conta ainda com portas largas, de piso rebaixado, que facilitam a entrada de crianças, idosos e de pessoas com mobilidade reduzida, ou então dos carrinhos de bebé ou bicicletas.

O atraso na chegada dos novos comboios obriga a CP a recorrer “à prata da casa”: nas linhas eletrificadas, a empresa aposta na recuperação de material circulante, como as locomotivas 2600 e ainda de carruagens como as Schindler e as Arco. Para as linhas sem catenária, a transportadora vai modernizar as automotoras da série 450 a partir de meados deste ano.

Ao mesmo tempo, até ao final de 2022, a CP tem um contrato de aluguer de 24 automotoras diesel aos espanhóis da Renfe, no valor de 320 mil euros por unidade. Depois deste verão, a transportadora prevê devolver oito unidades, baixando o valor anual do aluguer dos 8,3 para cerca de 5,8 milhões de euros.

Recorde-se que o concurso público internacional só foi lançado em janeiro de 2019, tendo sido anunciado como vencedor a Stadler no início de dezembro. No entanto, a CAF, um dos candidatos derrotados, travou o processo através da entrega de um contencioso no Tribunal Administrativo de Lisboa.

Dez meses depois, a 4 de outubro de 2020, foi levantada a impugnação. A CP assinou finalmente o contrato para a compra de comboios em 21 de outubro, cujo documento chegou pela primeira vez ao TdC a 11 de novembro, para receber o obrigatório visto para os contratos acima dos 750 mil euros.

O processo foi devolvido pela primeira vez a 4 de dezembro, pedindo novos elementos à CP. A análise foi reaberta a 8 de fevereiro, mas suspensa por dez dias, para novos esclarecimentos. Desde 18 de fevereiro que o TdC está à espera da transportadora.

Nos próximos anos, serão ainda lançados concursos para a compra de 129 novos comboios num montante próximo de mil milhões de euros: 62 para serviços urbanos, 55 regionais e ainda 12 unidades para o longo curso.

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.