Está aqui

Infraestruturas de Portugal (I.P.)

Beja é a mais beneficiada do país nos contratos de conservação de estradas

A Infraestruturas de Portugal anunciou que vai investir nos próximos três anos 107,5 milhões de euros em obras de conservação de estradas e o distrito de Beja vai ser o mais beneficiado, com um contrato de 8,2 milhões de euros.

Mais de metade das linhas ferroviárias nacionais entre o medíocre e o mau

No mês em que o País deu um passo para "ligar-se ao resto da Europa" através do lançamento do troço de linha ferroviária entre Évora-Caia que decorreu a semana passada em Elvas e que contou com as participações de  António Costa, Mariano Rajoy e a Comissária Europeia dos Transportes, a eslovena Violeta Bulc, ficamos a conhecer o relatório da Infraestruturas de Portugal e que conclui que mais de metade das linhas de comboio está em mau estado.

MONTEMOR-O-NOVO: PROJETO PIONEIRO DE PROTEÇÃO DA FAUNA

São perto de 90 mil euros que a IP - Infraestruturas de Portugal vão investir em Montemor-o-Novo, num projeto pioneiro na Europa de proteção da fauna revela comunicado chegado à nossa redação.

Num troço de 360 metro da EN114 - entre os quilómetros 163 e 164, em Montemor-o-Novo - serão colocadas barreiras longitudinais de proteção de anfíbios, encaminhando-os para duas Passagens Hidráulicas ali existentes.

NACIONAL 114 EM MONTEMOR VAI PROTEGER CORUJAS E ANFÍBIOS

A infraestruturas de Portugal vai arrancar com obras de protecção da fauna, na EN114 em Montemor-o-Novo. Segundo a IP vão ser instaladas vedações para encaminhamento de voo de corujas e de barreiras de proteção de anfíbios, no troço localizado no concelho de Montemor-o-Novo, distrito de Évora.

A empreitada encontra-se atualmente em fase de receção de propostas ao Concurso Público e envolverá um investimento estimado em 90 mil euros.

ÉVORA: LINHA FÉRREA "NÃO PODE SIGNIFICAR TOTAL DESRESPEITO" PELA POPULAÇÃO

O projecto de passagem da linha férrea Sines-Elvas/Caia em Évora voltou a ser assunto de debate este fim-de-semana em Évora.

Para o Presidente da Câmara Municipal de Évora, Carlos Pinto de Sá,  não está em causa a importância do troço ferroviário, mas sim o impacto negativo que o mesmo poderá ter se se confirmar o traçado apresentado.