Está aqui

Incêndios

2021 com o menor número de incêndios desde 2011

O ano de 2021 regista o menor número de incêndios desde 2011 e o segundo menor da década no que diz respeito à área ardida, de acordo com os dados provisórios até 30 de setembro - último dia do período de maior empenhamento do DECIR - Dispositivo Especial de Combate aos Incêndios Rurais (Nível IV).

SIRESP em funcionamento até final do ano

Foi aprovada pelo Governo a atribuição de uma indemnização compensatória de 11 milhões de euros para garantir, durante o segundo semestre deste ano, o cumprimento das obrigações de interesse e serviço públicos relativas ao Sistema Integrado das Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP).

Esta decisão surge, simultânea e coincidentemente com a promulgação pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, do decreto-lei do Governo que define o modelo transitório de gestão, operação, manutenção, modernização e ampliação da rede do próprio SIRESP.

Ourique investe na instalação de helicóptero para combater incêndios

A Câmara Municipal de Ourique anunciou que está a investir 17.500 euros na melhoria das condições operacionais e de apoio às operações do Centro de Meios Aéreos de Ourique, tendo em vista a instalação de um Helicóptero Bombardeiro Médio.

Em comunicado, a autarquia refere que esta aposta se insere no âmbito do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais 2021, e que o helicóptero estará disponível a partir de dia 15 de maio.

Gavião: 4 incêndios, 600 hectares de área ardida, 1 milhão de euros para reflorestar 

O concelho de Gavião, no limite norte do Alentejo, é um dos concelhos alentejanos mais fustigados pelos incêndios.

Em poucos anos ocorreram 4 grandes incêndios, os dois últimos em 2017, e resultaram em cerca de 600 hectares de área ardida, na freguesia de Belver e que serão agora reflorestados com um um investimento de um milhão de euros.

A iniciativa surge pela mão da “Terras de Guidintesta, Sociedade de Desenvolvimento Rural”, em parceria com a Associação de Produtores Florestais da Freguesia de Belver.

Sociedade civil de Gavião refloresta 600 hectares de área ardida

A Terras de Guidintesta – Sociedade de Desenvolvimento Rural, em parceria com a Associação de Produtores Florestais da Freguesia de Belver, vai plantar cerca de 270 mil árvores na área de Belver, no concelho de Gavião, para reflorestar a área ardida após os incêndios de 2003, 2005 e 2017.

Menos incêndios e menos área ardida no País pelo 3.º ano consecutivo

Terminou ontem, dia 30 de setembro, o período de maior exigência do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR) para 2020, naquele que foi o terceiro ano consecutivo com resultados abaixo da média da última década, em número de ignições e de área ardida.

Comparando os dados de 2020 com o histórico dos 10 anos anteriores, registaram-se menos 47% de incêndios rurais e menos 38% de área ardida. Esta é a primeira vez, desde 2009, em que se verificam três anos seguidos com redução destes indicadores relativos aos incêndios rurais.

Todos os distritos de Portugal continental em alerta amarelo

A partir de hoje, terça-feira, Portugal continental fica em alerta amarelo na sequência da última avaliação das condições meteorológicas feita pela Proteção Civil em função do risco de incêndios florestais, anunciou esta segunda-feira a secretária de Estado da Administração Interna.

“A partir de amanhã [terça-feira] todos os distritos ficarão em alerta amarelo”, disse Patrícia Gaspar à Lusa, em conferência de imprensa ao início da noite na sede da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), em Carnaxide, concelho de Oeiras (Lisboa).

“Cantares e Saberes” sensibiliza para a prevenção de incêndios em Gavião

A ação “Cantares e Saberes” vai-se realizar no próximo sábado, dia 29 de agosto, em Atalaia, no concelho de Gavião, numa iniciativa da associação cultural “Panóplia”, que pretende sensibilizar para a prevenção de incêndios através das artes visuais e da música.

Beja é um dos distritos com mais área ardida em 2020

O distrito de Beja é um dos distritos com mais área ardida em Portugal.

Dados do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) referem que, até ao final do mês passado, no distrito alentejano arderam 2 735 hectares, sendo só ultrapassado por Castelo Branco, com 7 248 hectares; Vila Real, com 3 255 e Faro, com 2 906 hectares.

Estes são ainda dados provisórios, mas que aponta o incêndio de a 13 de julho, em Castro Verde, e que consumiu 2 382 hectares como a causa para o quarto lugar de Beja na tabela.

Beja é o quarto distrito com maior área ardida por incêndios rurais

Até 31 de julho, arderam 2735 hectares no distrito de Beja, de acordo com o relatório provisório de incêndios rurais publicado pelo ICNF - Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas.

De acordo com os dados do relatório, citados pela Rádio Pax, Beja está em quarto lugar na lista dos distritos que apresentam maior área ardida. Em primeiro lugar encontra-se Castelo Branco com 7248 hectares, em segundo Vila Real com 3255, e em terceiro, Faro com 2906 hectares.

Páginas