Está aqui

Festas do Povo

Festas de Campo Maior querem ser Património Mundial em 2019

A convicção do presidente da Câmara de Campo Maior, Ricardo Pinheiro, é forte e a vontade do povo também.

Em Campo Maior todos querem ver as “Festas do Povo” reconhecidas pela UNESCO como Património Cultural Imaterial da Humanidade, e já em 2019.

Para já, decorre a fase de consulta pública até 26 de setembro após o pedido de registo das “Festas do Povo de Campo Maior” no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial.

JARDIM DE PAPEL EM CAMPO MAIOR CELEBRA A BELEZA DAS FESTAS DO POVO

O Jardim de Papel de Campo Maior nasceu após a consagração das Festas do Povo nos prémios do Turismo de Portugal em 2011. Segundo a organização, município e Associação das Festas do Povo "algo tinha de ser feito para assinalar esse marco único, congratular todos os envolvidos na ornamentação das ruas e elevar a alma de um povo que, mesmo numa conjuntura menos positiva, proporcionou ao país e ao Mundo umas Festas únicas e singulares, que trouxeram a Campo Maior cerca de um milhão e meio de visitantes". 
 

MAIS UM JARDIM DE PAPEL EM CAMPO MAIOR

Mais um Jardim de Papel estará plantado em Campo Maior (Portalegre) até dia 21 de agosto, naquela que é uma iniciativa de homenagem às tradicionais Festas do Povo.

As festas que só se realizam “quando o povo quer” decoraram no ano passado cerca de 60 ruas desta vila alentejana e agora, o Jardim Municipal vai estar decorado com flores e outros enfeites de papel representativos da tradição centenária local nesta arte.

A autarquia pretende também criar assim mais um atrativo turístico quer para portugueses, quer para espanhóis, ajudando a dinamizar a economia local.

FLORES DE CAMPO MAIOR ESTÃO À VENDA

As Festas do Povo de Campo Maior só acontecem quando o povo decide que elas devem acontecer.

É com a vontade e a mobilização do povo que Campo Maior se veste de uma forma extraordinária, com flores de papel, em cada uma das suas ruas, particularmente as que compõem o centro histórico da vila.

As Festas do Povo tornaram-se de tal modo conhecidas que, em apenas 15 anos, entre 1989 e 2004, o número de visitantes das Festas do Povo duplicou. As últimas Festas do Povo decorreram no ano passado e receberam cerca 700 mil visitantes em apenas nove dias.

JARDIM DE PAPEL NA RAIA ALENTEJANA

As festas que só se realizam “quando o povo quer” vão decorrer de 22 a 30 de agosto. Falamos das “Festas do Povo” ou “Festas das Flores” de Campo Maior e que vão decorrer em cerca de 60 ruas desta vila alentejana.

Por estas alturas, já a ansiedade apodera-se dos campomaiorenses e a azáfama é grande: a “enramação” (a decoração efetiva das ruas) só decorre na noite anterior – acompanhada de cantares, festa, comida e bebida - e até lá, qualquer local é ótimo e todos os momentos são aproveitados para fazer e adiantar algo nas decorações das ruas e preparativos para as festas. Uns deitam-se muito tarde, outros acordam de madrugada, outros deixam de ver o futebol, ou de ir à pesca ou de realizar quaisquer outras atividades lúdicas com que se passa o tempo noutras alturas do ano. Umas ruas mais adiantas nos lavores, outras mais atrasado, certo é que, no sábado, Campo Maior vai estar vestido de papel para receber os milhares de visitantes.

“FESTAS DO POVO” DE CAMPO MAIOR EM MUSEU

A vila norte-alentejana de Campo Maior vai ter um Museu dedicado às tradicionais Festas do Povo; um investimento de cerca de um milhão de euros – será sujeito a candidatura a Fundos Comunitários - e que deverá abrir ao público em 2016.

Segundo Ricardo Pinheiro, presidente da Câmara, o Museu ficará instalado no antigo Centro Militar de Campo Maior e terá uma base na componente multimédia, com imagens de vídeo que serão recolhidas na edição deste ano das festas.

FESTA QUANDO O POVO QUER

As Festas do Povo de Campo Maior (22 a 30 de Agosto) têm a particularidade de só acontecerem quando o povo decide que elas devem acontecer já que é o povo que se mobiliza, havendo vontade, e decora de uma forma extraordinária, com flores de papel, cada uma das suas ruas, particularmente as que compõem o centro histórico da vila.

E têm tido tanto sucesso que o seu prestígio alcança já públicos além fronteira.