Está aqui

EMBRAER

ALENTEJO RECEBE CIMEIRA MUNDIAL DA AERONÁUTICA

O Alentejo tem-se afirmado em várias dimensões. Mais do que apenas paisagens, vinhos ou gastronomia, a região tem desenvolvido a sua componente industrial e tecnológica, muito motivada pela instalação do gigante EMBRAER em Évora e da constituição do cluster aeronáutico, bem como a rede de incubadores que está a operar cobrindo praticamente a totalidade do território. Acresce um aeroporto praticamente novo em Beja e um núcleo industrial aeronáutico inaugurado ontem, com a presença do Primeiro Ministro, António Costa, em Ponte de Sor (Portalegre).

EMBRAER ÉVORA É O TERCEIRO MAIOR INVESTIDOR COM APOIO COMUNITÁRIO

Navigator, Celtejo e Embraer são as três empresas com investimentos mais avultados do país e que receberam apoio comunitário, como avança o jornal ECO.

EMBRAER, A NOVA AUTOEUROPA DOS AVIÕES EM ÉVORA

O título não é nosso mas assenta que nem uma luva à nova realidade criada em Évora com o gigante da aeronáutica e os quase 100 milhões de euros aí investidos. Com 415 funcionários, mais de 100 estagiários e outros tantos fornecedores, o terceiro maior construtor do mundo de aviões, atrás da Airbus e da Boeing alavancou o país fazendo subir na escala de valor e permitindo-lhe a entrada do grupo restrito de países construtores de aviões.

ÉVORA: AERONÁUTICA JÁ LEVA CERCA DE 200 MILHÕES DE INVESTIMENTO

Carlos Pinto de Sá declarou hoje que o Cluster Aeronáutico em Évora já tem cerca de 200 milhões de euros de investimento e possibilita a criação de cerca de 1000 postos de trabalho.

À margem do "Évora Aero Tech Day's" uma conferência que decorre hoje no Parque de Ciência e Tecnologia do Alentejo, o presidente da autarquia referiu  que para além da Embraer, com quase cem milhões de euros de investimento, são mais seis as empresas que se estão a instalar no Parque Aeronáutico e que representam cerca de 170 milhões de euros de investimento.

ÉVORA DEBATE OPORTUNIDADES DA INDÚSTRIA AERONÁUTICA

Trata-se das Jornadas do Évora Aero Tech Day's, decorrem a 23 de setembro no Parque de Ciência e Tecnologia do Alentejo(PCTA), em Évora e são organizadas pela Universidade de Évora e pelo PCTA.

O tema destas jornadas são os "Materiais Compósitos na Indústria Aeronáutica" e envolvem especialistas nacionais e estrangeiros que irão discutir as oportunidades criadas com a indústria aeronáutica, as parcerias ibéricas, tecnologias, soluções técnicas mas sobretudo o futuro do cluster aeronáutico no Alentejo.

EMBRAER: FÁBRICA DE ÉVORA VAI SER ESPECIALMENTE IMPORTANTE


Num jantar em S. Paulo, Brasil, com o Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa, Paulo César de Souza e Silva, presidente da Embraer declarou que "Portugal está num desenvolvimento muito interessante nos últimos anos e, sem dúvida alguma, é um país que tem capacidade de absorver tecnologia".

ÉVORA: EMBRAER JÁ TRABALHA EM AVIÃO MILITAR

O KC 390 é o maior projeto aeronáutico alguma vez criado em Portugal. Um avião de carga da fabricante brasileira Embraer, encomendado pela Força Aérea Brasileira, e mais de metade da sua aeroestrutura tem como base tecnologia portuguesa. São mais de 450 mil horas de engenharia, entre conceção, design e cálculos de 1.600 peças da aeronave. Cerca de 56% do avião foi da responsabilidade de engenheiros portugueses do Centro de Excelência e Inovação da Indústria Automóvel (CEIIA), onde estiveram também envolvidas a unidade da Embraer, inserida na OGMA, em Alverca, e a fábrica de componentes de Évora.

EMBRAER INVESTE MAIS DE 90 MILHÕES EM ÉVORA

A Embraer tem em curso dois novos projetos de investimento nas fábricas de Évora, com apoios comunitários, num valor global de 93,6 milhões de euros, revelou o presidente da empresa em Portugal, Paulo Marchioto. Segundo este, neste momento a empresa está “a fazer a ampliação das fábricas, estamos a aumentar a de [estruturas] metálicas em oito mil metros quadrados e a adquirir novas máquinas", e ao mesmo tempo a “introduzir novas tecnologias", declarou à Lusa.

ÉVORA: AERONÁUTICA VAI GERAR 700 NOVOS EMPREGOS

Contas feitas à projecção das duas novas empresas em fase de instalação no Parque Aeronáutico de Évora, serão 500 os postos de trabalho a criar nos próximos dois anos, a juntar aos 262 previstos pela EMBRAER, como noticiámos aqui.

Páginas