Está aqui

Hospital do Litoral Alentejano

Empresas de Sines oferecem Raio X última geração ao Hospital do Litoral Alentejano

Um conjunto de empresas do complexo industrial, logístico e portuário de Sines ofereceram um equipamento de Raio X móvel para o Hospital do Litoral Alentejano (HLA).

Este equipamento, no valor de 72 mil euros, vai dotar a Unidade de Cuidados Intensivos do HLA de uma ferramenta no diagnóstico e tratamento da população da região, incluindo nos procedimentos vigentes relativos ao combate à COVID-19.

Continente está a doar produtos alimentares e de higiene ao Hospital do Litoral Alentejano

Mais de três centenas de produtos alimentares e de higiene foram doados pela Missão Continente à ULSLA-Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano para médicos, enfermeiros e auxiliares de ação médica que trabalham na UCI, em dedicação total aos doentes internados com Covid-19.

Bens alimentares como sumos, bolachas, leite, iogurtes, cereais, fruta e água, além de produtos de higiene (gel de banho e champô) estão entre os artigos entregue aos profissionais de saúde nos últimos dias.

7,5 milhões para serviços de imagiologia no Hospital do Litoral Alentejano

São 7,5 milhões de euros que o Governo já autorizou para o investimento em serviços de imagiologia no Hospital do Litoral Alentejano.

A Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano e vai assim realizar um investimento – isento de IVA - em serviços de imagiologia, podendo executar um investimento de 1 milhão e 900 mil euros em 2019, 2020 e 2021, e podendo ir até ao milhão e 425 mil euros em 2022, como confirmou o Secretário de Estado do Orçamento, João Leão, em portaria publicada em Diário da República.

 

Imagem de dinheirovivo.pt

Novo protesto no Hospital do Litoral Alentejano

As Comissões de Utentes do Litoral Alentejano e o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses vão avançar para um novo protesto no próximo dia 28 de junho, quinta-feira. Os motivos deste protesto, uma concentração em frente do Hospital do Litoral Alentejano (H.L.A), prendem-se com a falta de enfermeiros, a redução do número de camas no hospital e uma alegada passagem da gestão daquele hospital para uma Parceria Pública Privada.
 

No Alentejo Litoral há um médico cardiologista e um urologista para 100 mil utentes

A Federação Nacional dos Médicos (FNM) decidiu convocar uma Greve para hoje, amanhã, e quinta-feira "para defender o Serviço Nacional de Saúde e rejeitar a degradação das condições de trabalho".
 

OBRAS NO HOSPITAL DO LITORAL ALENTEJANO RESULTAM DAS "LUTAS DOS UTENTES"

A coordenadora das Comissões de Utentes do Litoral Alentejano não tem dúvidas que as obras de ampliação e requalificação do Hospital do Litoral Alentejano, que começaram a semana passada, acontecem agora "devido às lutas dos Utentes".

Em comunicado o movimento esclarece que as obras há 10 anos que eram necessárias e urgentes, e prometidas "pelos diversos Conselhos de Administração" mas só agora avançam pela dimensão que ganharam as reivindicações dos utentes daqueles serviços.

ENFERMEIROS E UTENTES EM PROTESTO CONTRA AS CONDIÇÕES DO HOSPITAL DO LITORAL ALENTEJANO

O risco de funcionamento do serviço de paliativos e o encerramento do serviço de convalescença do Hospital do Litoral Alentejano levaram a semana passada a totalidade dos autarcas do Litoral Alentejano, a pedir "com caráter de urgência", uma reunião com o Ministério da Saúde.

CRISE NO HOSPITAL DO LITORAL ALENTEJANO AGUDIZA-SE

Risco de funcionamento do serviço de paliativos e encerramento do serviço de convalescença do Hospital do Litoral Alentejano levaram esta semana primeiro o Presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, Álvaro Beijinha, e agora a totalidade dos autarcas do Litoral Alentejano, a pedir "com caráter de urgência", uma reunião com o Ministério da Saúde.

HOSPITAL E VIAS DE COMUNICAÇÃO PREOCUPAM POLÍTICOS

No próximo domingo, dia 10 de Maio, está marcada uma reunião conjunta no auditório Municipal Cine Granadeiro, em Grândola, que envolve os Presidentes das Assembleias Municipais de Alcácer do Sal, Grândola, Odemira, Santiago do Cacém e Sines para alertar a opinião pública e o poder central para o estado do serviço prestado no C (HLA) e para a situação das vias de comunicação.