Está aqui

Empresas

Alentejo promove-se na Índia

O Alentejo está a promover-se na Índia, numa missão que pretende promover o contacto com potenciais investidores de forma a reforçar o ecossistema de inovação no Alentejo.

Durante 6 dias, no âmbito do projeto Alentejo Global Invest – financiando pelo prorama operacional Alentejo 2020 - e que tem o seu foco nos setores da inovação e das tecnologias de informação, esta missão tem o seu principal objetivo na promoção de contactos com potenciais investidores, startups, entidades e empresas, cujos serviços possam vir a reforçar o tecido empresarial alentejano na área da inovação.

Évora recordista na criação de novas empresas

Segundo um relatório da Iberinform, a mutinacional de créditos e seguros, o espírito empreender nacional está em alta já que a abertura de novas empresas no primeiro mês de 2019 teve um impulso de 19,8% face ao período homólogo de 2018. “O ano arrancou com 6.333 novas empresas constituídas versus 5.288 em janeiro do ano passado” refere aquela analista.

Tecido empresarial cresce em Évora e diminui em Beja e Portalegre

Um relatório da multinacional Iberinform – uma empresa especializada na gestão de risco, prospeção e cobrança - o tecido empresarial cresceu em Évora e diminuiu em Beja e Portalegre, em 2018.

O crescimento do distrito de Évora situa-se nos 7,3%, o que significa um aumento de quase seis centenas de empresas, 571. No cômputo entre empresas que abriram e outras que cessaram, o que os números registam são trinta e nove novas empresas, face a 2017.

Viana do Alentejo mantém IMI no mínimo

A Câmara de Viana do Alentejo decidiu manter a taxa mínima do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) para 2019, nos mínimos, continuando fixada em 0,3%.

A par desta percentagem, o município mantêm também os descontos no imposto a pagar para os agregados familiares com filhos, sendo a redução de 20 euros para famílias com um filho, de 40 euros para as que têm dois e de 70 euros para as que têm três ou mais filhos.

As microempresas com um volume de negócios inferior a 150 mil euros por ano estão isentas de derrama.

Depois de ouvir o Cante, os americanos querem conhecer o Alentejo

Depois de ouvir o Cante, “os americanos ficaram com vontade de conhecer o Alentejo”, como revelou o embaixador de Portugal nos Estados Unidos da América, Domingos Fezas Vital.

O Cante foi a Washington, como o Tribuna Alentejo disse a semana passada, ao abrigo do festival “Terras Sem Sombra” e deixou os americanos encantados com o Cante e com o  Alentejo em geral e dando uma boa imagem do país e um fortalecimento de relações.

ALSTONES – Uma oportunidade para o Alentejo

Decorreu, na passada quarta-feira, a apresentação pública do Projeto ALSTONES. Este evento, que irá realizar-se em Vila Viçosa, no próximo mês de julho, e que agrega sete concelhos do Alentejo Central (Vila Viçosa, Borba, Estremoz, Alandroal, Sousel, Reguengos de Monsaraz e Redondo), tem como objetivo primordial a promoção da pedra enquanto fator determinante do ponto de vista patrimonial, cultural, social económico.

Moura: fecha fábrica de painéis solares e deixa 105 no desemprego

Em Moura, o fecho de uma fábrica de painéis solares deixa 105 desempregados.

A fábrica MFS - Moura Fábrica Solar, da empresa espanhola ACCIONA – após um investimento de 10 milhões de euros - era o maior empregador privado do concelho e fecha por, segundo fonte da empresa, já não ter viabilidade económica devido ao abandono do parceiro chinês que decidiu transferir a sua produção para fábricas na Ásia após a decisão da União Europeia em eliminar as tarifas sobre a importação de painéis da China.

Aljustrel investe 5ME para apoiar empresas

São quase cinco milhões de euros aqueles que a Câmara de Aljustrel vai investir em quatro projetos de áreas de acolhimento de empresas no concelho.

Entre os investimentos encontram-se a expansão da Área de Acolhimento Empresarial e a criação do Centro de Negócios da vila de Aljustrel, orçados em 2,2 milhões de euros e de 1,1 milhões de euros, respetivamente.

A estes, juntam-se a criação da Área de Acolhimento Empresarial da vila de Ervidel, de 996 mil euros, e a requalificação da Área de Acolhimento Empresarial da aldeia de S. João de Negrilhos - 576 mil euros.

Évora e Beja representam 27% do volume de negócios do setor vitivinícola

Num estudo recentemente divulgado pelo Banco de Portugal, os distritos de Évora (15%) e Beja (12%) representam 27% do volume de negócios no setor vitivinícola, segundo dados de 2017.

Só o Porto ultrapassa o volume de negócios alentejano com 50%, e relativos a números desde de 2012.

Dentro do setor vitivinícola, 13% das empresas encontram-se ligadas ao enoturismo - 26% do volume total de negócios; quanto à taxa de empregabilidade, os números são semelhantes.

Aljustrel, Castro Verde e Castelo de Vide com fortes apostas no setor empresarial

É o maior investimento de sempre no concelho apoiado por fundos comunitários; são cerca de 5 milhões de euros que Aljustrel viu aprovados quatro projetos para áreas de acolhimento empresarial e incubadoras não tecnológicas.

Após o sinal positivo da Comissão Diretiva do Alentejo, estes projetos seguem a estratégia da autarquia de Nelson Brito para a inovação e promoção da atividade empresarial no concelho através da promoção e apoio ao empreendedorismo com base na criação de um ecossistema favorável ao desenvolvimento da atividade empresarial.

Páginas