Está aqui

Base Aérea de Beja

Esquadra 101 "Roncos" muda-se hoje para a Base Aérea de Beja

Hoje, 17 de junho, pelas 11h15, realiza-se na Base Aérea N.º 11, em Beja, a Cerimónia de receção da Esquadra 101 - "Roncos", que, até à data, operava na Base Aérea N.º 1, em Sintra.

Exercício da NATO em Beja foi adiado

Estava previsto realizar de 10 a 22 de maio, em Beja, o exercício “Tiger Meet” com militares da NATO. Devido à atual situação de pandemia Covid-19, o mesmo foi adiado para julho de 2020.

A Base aérea alentejana iria receber cerca de três mil militares, 100 aeronaves de 20 esquadras.

Esta era a 56ª edição do NATO "Tiger Meet", o maior encontro mundial de Esquadras de voo Tigres.

Quando se realizar, em julho, será a terceira vez em Beja, e pela quarta em Portugal, numa organização da Esquadra 301-Jaguares, da base aérea 5, em Monte Real.

Terceiro Koala AW119 já chegou à Base Aérea de Beja

O terceiro de cinco helicópteros Koala já chegou à Base Aérea de Beja.

Estes novos helicópteros foram comprados para substituir a frota dos Aloeutte III e que estão ao serviço da Força Aérea Portuguesa desde a guerra colonial.

Em fevereiro, chegaram as primeiras duas aeronaves militares o Koala AW119 da Esquadra 552.

Aeroporto de Beja e envolvente serão valorizados - garante o ministro da Defesa

Esta semana, o presidente da Câmara de Beja, Paulo Arsénio, reuniu com João Gomes Cravinho, Ministro da Defesa Nacional e o Aeroporto de Beja foi o tema central da conversa.

Passagem da Força Aérea de Montijo para Beja custa 115 milhões

Já existe um plano de transferência dos C295 da base aérea do Montijo para a base de Beja e dos helicópteros de busca e salvamento para Sintra.

Na base do Montijo ficarão os helicópteros Lynx, da Marinha. Os helicópteros EH101, - especialistas em missões de busca e salvamento - vão para Sintra e os C295, de transporte de tropas e carga, vêm para a base alentejana de Beja, tal como os Epsilon, aviões de instrução, que deixam Sintra para regressar ao Alentejo.

Esquadra 502 do Montijo pode mudar-se para Beja

A Força Aérea Portuguesa (FAP) pondera transferir para a Base Aérea 11, em Beja, a esquadra 502, conhecida como “Elefantes”, instalada neste momento na base do Montijo. Segundo notícia avançada pela Rádio, para Beja poderão vir aeronaves preparadas para vigilância, evacuações médicas e busca e salvamento.

Esta readaptação do dispositivo da Força Aérea terá um custo estimado de 107 milhões de euros.

Imagem de capa de emfa.pt

ALPHA-JET DIZEM ADEUS A BEJA

O dia de ontem, 13 de janeiro de 2018, marcou o fim dos Alpha-Jet ao serviço da Força Aérea Portuguesa com a realização do último voo, em Beja.

Os Alpha-Jet chegaram a Portugal em 1993 como pagamento de parte do contrato de utilização da base de Beja pelos alemães – eram 50 aviões – que foram os eleitos para a formação de jovens, mas também para demonstrações aéreas com as patrulhas acrobáticas Parelha da Cruz de Cristo e Asas de Portugal.

Estavam instalados na base de Beja desde a sua chegada a Portugal.

 

Imagem de emfa.pt

NOVO COMANDANTE NA BASE DE BEJA

Desde 20 de outubro que a Base Aérea (BA) 11, em Beja, tem um novo comandante.

O coronel José Gaspar foi substituído pelo coronel Fernando Costa numa cerimónia que assinalou o 53º aniversário da base e que foi presidida pelo general Manuel Teixeira Rolo, chefe do Estado-Maior da Força Aérea.

F-16 PORTUGUÊS FORÇADO A LARGAR TANQUES DE COMBUSTÍVEL EM ÉVORA

Segundo uma notícia que está a ser avançada pela Rádio DianaFM, um avião Lockheed Martin F-16 da Força Aérea Portuguesa (FAP) foi forçado a largar, esta terça-feira, os seus tanques de combustível na zona do Senhor dos Aflitos em Évora.

1300 MILITARES TREINAM RESGATE DE CIVIS EM BEJA

Trata-se de um exercício que junta os três ramos das Forças Armadas Portuguesas e prepara operações de segurança, protecção e o resgate de civis no estrangeiro ao território nacional em caso de crises. O "Lusitano 16", é assim que se chama o exercício, está a decorrer em Beja, na Base Aérea n.º 11 e envolve 1300 militares, que até ao dia 28 de outubro se preparam para a eventualidade de ter que defender e resgatar cidadãos portugueses e europeus de locais de conflito, quando a sua segurança é posta em causa.

Imagem de capa do Estado-Maior-General das Forças Armadas.

Páginas