5 Fevereiro 2019      05:24

Está aqui

Há um Entrudo único no Alentejo que ainda muitos desconhecem

Há tradições remotas que persistem tanto tempo que vamos esquecendo o que esteve na sua origem.

Um exemplo é o Carnaval ou o mais ancestral Entrudo, uma tradição hoje estranha à religião mas que surgiu pela religião, enquanto celebração popular e que acontecia nos três primeiro dias antes da Quaresma.

A própria palavra Entrudo, que vem do latim introitus, significa dar entrada ou anunciar aquilo que era a aproximação da quadra quaresmal foi depois substituída pelo Carnaval, que etimoligicamente aponta para carnisvalerium, ou seja, adeus à carne, já que a carne é abolida na alimentação cristã durante este período. A celebração do Carnaval ou do Entrudo acabou por perder o significado original mas permanece como celebração profana, apesar da globalização estar a transformar as particularidades locais desta festa em generalizações mais ou menos desinteressantes.

 A celebração do Carnaval ou do Entrudo acabou por perder o significado original mas permanece como celebração profana, apesar da globalização estar a transformar as particularidades locais desta festa em generalizações mais ou menos desinteressantes.

Se nos ficarmos pela celebração profana e pela dança associada às festa então fugimos à ideia geral que quase todos temos do Entrudo, mas, Ironia das ironias, se nos deslocarmos para Entradas, uma vila de Castro Verde, onde se celebra de forma diferente, damos com o Entrudanças, um festival de três dias que "convidam" a uma dança entre identidade local, nacional e internacional, cruzando gentes, tradições e saber-fazer.

São três dias de bailes, concertos, oficinas de dança, oficinas de instrumentos, actividades para famílias e crianças, ambiente e animação de rua, que não esquece o cante alentejano, os costumes e gastronomia local.

O Entrudanças decorre este ano entre 1 a 3 de Março, evocando a Lucerna, numa homenagem à luz e à história da região. Na sua décima nona edição (e a décima sexta na vila de Entradas), a PédeXumbo, a Câmara Municipal de Castro Verde e a Junta de Freguesia de Entradas, entidades organizadoras do festival, lançam o convite para que os públicos aproveitem estes três dias de festival e venham viver um Entrudo diferente na planície alentejana.

O folk europeu predomina e o cartaz deste ano é composto por projetos como os belgas Duo de Schepper-Sanczuk e os franceses La Base Duo, que nos brindam com repertório da Gasconha. De Portugal chegam Delicatessen, Forró Power Trio, Ledok, Nat-u-Ra e Parapente700 com Juan de La Fuente.

Mas num festival onde o público mais do que espetador é participante, o programa preenche-se com inúmeras oficinas. Quem vier ao Entrudanças este ano vai poder aprender a dançar Danças da Gasconha, Danças Gregas Antigas, Danças Circulares Sagradas, Danças Portuguesas, Forró e Samba da Gafieira, entre outras. Haverá também uma oficina de Cante, dinamizada por Celina da Piedade e oficinas de instrumentos e gastronomia. Também há um espaço na programação dedicado aos mais pequenos com contos, oficinas de manualidades, magia, cante em família e passeios para todos.

Toda a informação e programa completo em http://pedexumbo.com/entrudancas/

 

Siga o Tribuna Alentejo no  e no Junte-se ao Fórum Tribuna Alentejo e saiba tudo em primeira mão.

 

 

 

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.