Está aqui

SEF

Dono de herdade alentejana preso por tráfico de seres humanos

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) deteve esta sexta-feira o proprietário de uma herdade no Alentejo, por indícios da prática dos crimes de tráfico de seres humanos e auxílio à imigração ilegal, com mandados judiciais de detenção e busca domiciliária emitidos pelo Tribunal Judicial de Grândola..

O detido, cuja identidade não é revelada, é um cidadão europeu e, segundo o SEF, angariou e fez "entrar irregularmente em Portugal cidadãos brasileiros, sob o pretexto de falsas viagens em turismo, conduzindo-os depois a uma herdade sua propriedade no baixo Alentejo”.

SEF e GNR impedem 853 pessoas de entrar em território nacional

Com a determinação da reposição temporária do controlo de fronteiras internas com Espanha, estabelecida pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 10-B/2020, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), iniciou às 23h00 do dia 16 de março o controlo dos passageiros nos nove Pontos de Passagem Autorizados (PPA), de Viana do Castelo, Chaves, Bragança, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Elvas, Beja e Faro.

Nestes primeiros 10 dias, até ao final do dia desta quinta-feira, o SEF controlou - com a colaboração da Guarda Nacional Republicana – um total de 87.823 cidadãos.

255 pessoas exploradas no Alentejo

Foram detidos, na passada semana, pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, seis romenos que exploravam 255 trabalhadores de explorações agrícolas da zona de Beja.

Trabalhavam na apanha da azeitona e viviam em condições muito precárias, estas centenas de trabalhadores estrangeiros e portugueses não recebiam salário e foram sinalizados como vítimas de tráfico de seres humanos.

Seis detidos por exploração laboral agrícola no Alentejo

O Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Évora avança em comunicado que foram detidas seis pessoas, em várias localidades do Baixo Alentejo, envolvidas num esquema de exploração laboral de cerca de duas centenas de estrangeiros. Os detidos têm nacionalidade romena e idades entre os 22 e 47 anos.

CONDIÇÕES DE ESCRAVATURA DE TRABALHADORES IMIGRANTES EM BEJA

Num trabalho assinado por Nuno Guedes, a TSF avança hoje que há cerca de 10 mil imigrantes a trabalhar na agricultura em Beja sujeitos a todo o tipo de abusos por parte dos patrões e cerca de metade nem pode protestar por estar em situação ilegal, responsabilidade que é assacada ao Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) já que estes imigrantes têm por lei direito à legalização em Portugal porque fazem descontos para a Segurança Social e têm trabalho.