Está aqui

Parque Natural do Vale do Guadiana

Mais dois linces libertados no Alentejo

Foram libertados no Alentejo, no Parque Natural do Vale do Guadiana, em Mértola, mais duas fêmeas de lince-ibérico – com 11 meses - e que foram criadas em cativeiro.

Desde 2014, são agora já 37 os linces libertados na área de abrangência do parque natural alentejano.

As duas fêmeas - a Paprika e a Puntilla, provenientes do Centro Nacional de Reprodução em Cativeiro em Silves (CNRLI), e do Centro La Granadilla, em Espanha, respetivamente – foram libertadas na Herdade da Bombeira, à beira do Rio Guadiana, e onde terão refúgio e alimento.

Mais um Lince-ibérico encontrado morto em Mértola

Não está fácil a coexistência dos humanos com o Lince-Ibérico uma das espécies animais mais ameaçadas do mundo e que, através de um programa de protecção, está a ser reintroduzido no Vale do Guadiana. O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) adianta que a fêmea de Lince-Ibérico, a Opala, foi encontrada morta no Parque Natural do Vale do Guadiana (PNVG), no concelho de Mértola.

ALENTEJO GANHA NOVO LINCE

Chama-se Macela - nome de planta com propriedades medicinais e comum em Portugal - e nasceu em 2005, em Silves, no Centro Nacional de Reprodução de Lince-Ibérico em Cativeiro. Esta semana, esta jovem fêmea conheceu a liberdade na natureza e juntou-se ao grupo de linces já libertados no Alentejo, mais concretamente em Mértola (Beja).

4 MIL ÁRVORES PARA O BAIXO ALENTEJO

O Grupo AccorHotel, um dos maiores operadores hoteleiros mundiais, prepara-se para plantar 4 000 árvores e apoiar os agricultores em Mértola. A iniciativa visa promover a biodiversidade e lutar contra a erosão dos solos, num projecto pioneiro de agro-florestação em Portugal, para o desenvolvimento de um modelo agrícola sustentável.