Está aqui

Festival Terras sem Sombra

O génio das mulheres em Arraiolos no Festival Terras Sem Sombra

O Festival Terras sem Sombra em Arraiolos celebra a arte e a ciência pela mão das mulheres entre 29 de fevereiro e 1 de março.

O programa musical propõe um diálogo entre a flautista checa Monika Streitová e a pianista portuguesa Ana Telles. A acção de Património Cultural homenageia a arte tapeteira e o saber imemorial das artesãs arraiolenses e, no âmbito da Salvaguarda da Biodiversidade, resgata-se a bolota como alimento do futuro, pondo-a em relação com o montado.

Aprender barranquenho, ouvir violoncelo e conhecer o Ardila

Barrancos vai ser o cenário perfeito para o segundo fim-de-semana do Festival Terras sem Sombra. A língua barranquenha, traço identitário daquele concelho raiano, é o mote para o encontro de Património, no sábado (1 de Fevereiro, 15h). Esta é uma boa ocasião para o conhecer e aprender os rudimentos da fala de Barrancos.

Cante alentejano vai fazer-se ouvir na República Checa

O Cante Alentejano vai ouvir-se em Praga a 9 de janeiro pelo Grupo Coral Os Bóinas.

O Festival Terras sem Sombra leva à República Checa, país convidado da 16.ª temporada, uma manifestação cultural que, desde 2014, é Património Imaterial da Humanidade.

Festival Alentejano entrega prémios Terras sem Sombra em Campo Maior

A intérprete de Flamenco Carmen Linares, o arquiteto João de Almeida e o Jardim Botânico de Cabo Verde, são os vencedores do Prémio Internacional Terras sem Sombra 2019, respetivamente nas categorias de Música, Património Cultural e Salvaguarda da Biodiversidade.

Campo Maior é palco do Prémio Internacional Terras sem Sombra

A vila alentejana de Campo Maior recebe a 30 de novembro a cerimónia de entrega do Prémio Internacional Terras sem Sombra 2019, presidida pelo Duque de Lafões, D. Afonso de Bragança. Os galardoados nas três categorias do Prémio – Música, Património Cultural e Biodiversidade – serão anunciados nos próximos dias.

A entrega do Prémio Internacional Terras sem Sombra decorrerá a 30 de novembro (17h30) no Centro Cultural de Campo Maior, a culminar a temporada de 2019 do Festival Terras sem Sombra (TSS).

Alentejo coordena o único projecto português do programa Europa Criativa

A associação Pedra Angular, responsável pelo Festival Terras sem Sombra, viu aprovada pela União Europeia a única iniciativa coordenada por uma entidade portuguesa, no programa na área da cultura, Europa Criativa. A partir do Alentejo vai ser coordenado o único projeto português financiado, embora existam outras entidades nacionais que integram candidaturas estrangeiras, cujos projetos foram também aprovados. De coordenação nacional só este do Alentejo.

Barrancos, canto lírico, estrelas e passeio pelos campos. Tudo isto liga

Imagine Barrancos, canto lírico, um passeio pelos campos e, à noite, um imenso céu estrelado. É a proposta do Festival Terras sem Sombra, que vai mais longe que a imaginação e está no próximo fim de semana em Barrancos, com um programa diversificado, de acesso livre, que tem início às 18h30 de sábado, dia 8 de junho com um recital da famosa contralto norte-americana Ellen Rabiner, acompanhada ao piano pelo maestro Nuno Margarido Lopes, no Cineteatro de Barrancos.

Uma viagem aos patrimónios vivos de Elvas, com o melhor organista europeu do ano

Terras sem Sombra é um projecto que há 15 anos convida o público nacional e internacional a experimentar, sentir e viver, muito de perto, o património único do Alentejo, revelando o que há de mais interessante na região – e na vizinha Extremadura. Uma oportunidade única para conhecer um legado que é único: o nosso.

Reguengos de Monsaraz já faz parte do Festival Terras sem Sombra

Pela primeira vez, Reguengos de Monsaraz integra a programação do Festival Terras sem Sombra, que se vem realizando pelo Alentejo desde 2013.

Este Festival que celebra a música, o património e a biodiversidade, fará a sua estreia no concelho de Reguengos de Monsaraz a 23 de fevereiro, pelas 15h, quando se realizar uma visita ao Museu do Fresco, em Monsaraz, guiada pela historiadora e Diretora Regional de Cultura do Alentejo, Ana Paula Amendoeira, e pelo químico António Candeias.

Depois de ouvir o Cante, os americanos querem conhecer o Alentejo

Depois de ouvir o Cante, “os americanos ficaram com vontade de conhecer o Alentejo”, como revelou o embaixador de Portugal nos Estados Unidos da América, Domingos Fezas Vital.

O Cante foi a Washington, como o Tribuna Alentejo disse a semana passada, ao abrigo do festival “Terras Sem Sombra” e deixou os americanos encantados com o Cante e com o  Alentejo em geral e dando uma boa imagem do país e um fortalecimento de relações.

Páginas