Está aqui

Despovoamento

REABILITAR PARA ARRENDAR

Em Lisboa foi esta semana anunciada a implementação do projecto “reabilitar para arrendar”. Tal como o nome indica, este projecto consiste na reabilitação de habitações antigas, localizadas em zonas históricas da cidade, por forma a que possam ser colocadas no mercado de arrendamento a preços acessíveis.

Esta medida destina-se a trazer mais pessoas para o centro da cidade, não apenas com o intuito turístico mas sim com a vista na habitação em permanência.

O INTERIOR: ENTRE O ESTATUTO E A UNIDADE DE MISSÃO

Por estes dias, o Interior, esse conceito lato, está na ordem do dia porque, de forma surpreendente, todos quiseram começar a tirar benefícios políticos à custa dos anos de abandono a que estamos votados há largos anos. A oposição apresentou um Projeto de Lei que visava criar o Estatuto dos Territórios de Baixa Densidade. Por seu turno, o governo aprovou em Conselho de Ministros o Programa Nacional para a Coesão Territorial, resultado do trabalho promovido durante estes meses pela Unidade de Missão para a Valorização do Interior.

TROCA DE PALAVRAS DURAS EM DEBATE SOBRE O INTERIOR

O PSD propôs discutir o estatuto dos territórios de baixa densidade ontem na Assembleia da República mas o debate resvalou para uma troca dura de palavras protagonizadas por Luís Testa (PS), deputado eleito eleito por Portalegre e o próprio líder da bancada parlamentar do PSD, Luís Montenegro.

MUDAR O ALENTEJO PELA EXCELÊNCIA

Entre as 10 ideias finalistas do “Start & Go Alentejo”, uma iniciativa da Alentejo de Excelência para encontrar ideias de combate ao despovoamento alentejano, há quem proponha “pegar no Alentejo como um produto e vendê-lo ao estrangeiro, para atrair investimento direto”, como a Vanessa Durão, com o projeto “Jump In”. Ou ainda, quem proponha a criação de um “Centro de Inovação e Criatividade do Litoral Alentejano”, que estimule “artistas, cientistas e empreendedores – como construtores privilegiados do imaginário”.

IDEIAS PARA CEIFAR O DESPOVOAMENTO ALENTEJANO

Segundo os últimos censos, o Alentejo perdia oito pessoas por dia. Para encontrar soluções de combate a esse flagelo, durante dois meses, a Alentejo de Excelência recebeu 50 propostas de todo o país, e fora do país. Agora, na fase final, os 10 finalistas irão competir para serem os vencedores e ganharem um prémio de 2500 euros. Será no dia 16 de junho, pelas 14h, no auditório do Parque de Ciência e Tecnologia do Alentejo, que os Finalistas apresentam a sua ideia, em 3 minutos, para convencerem o Júri do Concurso que têm a melhor proposta.

DESPOVOAMENTO: NINGUÉM PENSA NO PRESENTE DE UMA FORMA REALISTA

Nasceu em Lisboa, tem 43 anos, é pai de três filhos e formado nas áreas da comunicação e empreendedorismo social. Falamos de Frederico Lucas, empreendedor social na área da competitividade territorial e orador motivacional de empreendedorismo. É Diretor Executivo da APMRA - Associação Portuguesa de Marketing Rural e Agronegócio e Coordenador do Programa Novos Povoadores, um programa que traz para o interior gente altamente qualificada que aí se instala com as suas famílias e aí lança novos negócios, com ganho para todos.

DESPOVOAMENTO: NÃO PODEMOS CONTINUAR SEM FAZER NADA

2.500 euros para a melhor ideia de combate ao despovoamento é o que propõe a Associação Alentejo de Excelência através de um concurso de ideias. 
 
Esta iniciativa, que será apresentada no Parque de Ciência e Tecnologia do Alentejo no próximo dia 25 de Fevereiro, no âmbito da Conferência Será o despovoamento do interior uma inevitabilidade?, pretende reforçar a atenção da opinião pública para um tema altamente preocupante no interior do país e em particular no Alentejo.