Está aqui

Artigos publicados

O ESTADO, OS RICOS, OS POBRES E OS IMPOSTOS

No seu habitual espaço de comentário na TVI24 e a propósito das negociações para o Orçamento do Estado para 2018 Manuela Ferreira Leite afirmou “os impostos não podem castigar quem ganha muito”.

Depois de conseguir digerir e assimilar a soberba declaração senti necessidade de inferir sobre o significado da mesma. Assim e tendo como ponto de partida a afirmação proferida por Manuela Ferreira Leite, será legítimo inferir que os impostos podem castigar quem ganha pouco?

GLOSSÁRIO DOS TEMPOS MODERNOS

Com a “Silly Season” de 2017 a terminar, deixo este pequeno glossário dos tempos modernos.

COLABORADOR: Peça de engrenagem produzida em série usada em máquinas de produção de riqueza. Normalmente, estas peças de engrenagem são descartadas antes do prazo de validade e têm como destino final o desemprego. O mesmo que funcionário ou trabalhador, no sentido figurado o mesmo do que pobre.

FELIZMENTE HÁ LUAR!

Nas últimas semanas temos assistido, através da imprensa, à terrificante e pouco edificante escalada verbal entre EUA e a Coreia do Norte. Donald Trump ameaça com uma chuva de fogo e fúria como nunca antes vista, Kim Jong-Un promete um mar de chamas em Seul e um ataque nuclear na ilha de Guam.

O ASSÉDIO POLÍTICO NO FACEBOOK

O Facebook é um sítio privilegiado para a disseminação de informação e ideias. Contudo, com o aproximar de cada período eleitoral os facebookianos vêem-se inundados por uma profusão de publicações de cariz político que roça o assédio intelectual e que, ocasionalmente, pode levar qualquer um à loucura.

BOATOS VICIOSOS – PARTE 2

O ex-ministro da Economia Manuel Pinho escreveu um longo artigo de opinião no Jornal Público sobre o caso EDP no qual se defende do que diz ser um "boato vicioso". Pois bem, não querendo ser exaustivo relembro outros boatos viciosos mediáticos que, também, têm como denominador comum os bolsos dos portugueses.

Segundo boato: As Privatizações.

O boato Durão Barroso e Goldman Sachs

BOATOS VICIOSOS – PARTE 1

O ex-ministro da Economia Manuel Pinho escreveu um longo artigo de opinião no Jornal Público sobre o caso EDP no qual se defende do que diz ser um "boato vicioso". Pois bem, não querendo ser exaustivo relembro outros boatos viciosos mediáticos que, também, têm como denominador comum os bolsos dos portugueses.

Primeiro boato: As Parcerias Público-Privadas (PPP).

O boato Lusoponte

AO ESTADO A QUE A MENTIRA CHEGOU

A obstinação pela crítica, pela maledicência, pela calúnia e difamação é atualmente um lugar comum que frutifica a desarmonia, enfraquece a mente, exalta a inveja, enaltece a vaidade e glorifica a ruindade.

Em termos gerais, mentir não é crime. Pode ser imoral ou um ato manifesto de total ausência de ética e de carácter, de valores e de princípios, mas somente é crime quando causa dano ou perda às partes.

DESACORDO CLIMÁTICO

São inúmeros os modos insidiosos de manifestação de arrogância sobre a problemática das alterações climáticas. O mais recente prende-se com a decisão anunciada por Donald Trump que visa a saída dos Estados Unidos do Acordo de Paris.

Todavia, a retirada dos EUA do Acordo de Paris pode marcar uma nova era na agenda ambiental do planeta, a meu ver bem mais promissora.

A INDÚSTRIA DA CORRUPÇÃO

A prática da corrupção conduz a sociedades mais desiguais, perverte a distribuição de riqueza e de oportunidades, aprofunda injustiças sociais e coloca em risco a dignidade humana.

PÓS-VERDADE

Diz a ciência que somos mentirosos por natureza. Contudo, a mentira que antes tinha perna curta consta agora que compensa. Talvez, por isso, se assista a um aumento crescente do número de sites e páginas de internet que se dedicam exclusivamente à produção e disseminação de notícias falsas ou de meias verdades.

Não importa o quão verdadeira ou honesta é a informação. O que interessa é que ela seja surpreendente, inesperada, provocativa e estimulante o suficiente para atrair a atenção dos internautas e consequentemente gerar cliques massivos para acionar publicidade digital.

Páginas