Está aqui

Artigos publicados

TRANSIÇÃO ENERGÉTICA

Chegamos a 2016 com a clara noção de que a humanidade está a perder o combate contra as alterações climáticas. Se é unânime a urgência em reduzir as emissões de dióxido de carbono (CO2), a prática demonstra exatamente o contrário, sendo mais evidente nas posições tomadas pelos Estados Unidos e pela China nesta matéria. Contudo, também na Europa pouco tem sido feito para reduzir o consumo de carbono no sector energético. A redução das emissões fica a dever-se mais aos efeitos da austeridade do que a um acto voluntário em matéria de transição energética.

A ASCENSÃO DO POPULISMO QUE ESTARRECE A EUROPA

Depois da “Trumpalhada” de Hillary os velhos fantasmas europeus estão de volta. A eleição de Donald Trump desencadeou, um pouco por todo o mundo, um terramoto político, que para já teve a virtude de avivar, encorajar e empolgar os partidos populistas europeus, tanto os de direita como os de esquerda.

A DERRUBAR E A ERGUER MUROS HÁ DÉCADAS

A 9 de novembro de 1989, depois de 28 anos de existência, o muro de Berlim caiu. Faz hoje 27 anos. Mas, por detrás dessa cortina simbólica e longe do olhar do público esse ato consumou a passagem de uma sociedade disciplinar para uma sociedade biopolítica ou de segurança, para usar expressões “Foucaultianas”.

Por esse mundo fora, continuam a elevar-se tanto barreiras invisíveis como físicas do mais variado tipo, predominantemente sociais, raciais, religiosas e ideológicas.

A FOME

A pobreza extrema possui distintos significados mas resulta invariavelmente de processos de exclusão social e revela-se tanto no contexto mais amplo da sociedade como no universo particular dos indivíduos afetados, independentemente da situação política e económica de cada sociedade.

Se é verdade que as necessidades alimentares da humanidade jamais foram satisfeitas de um modo permanente, também é verdade que apenas uma mera fração é inteiramente saciada, sendo que a maioria da população mundial tem sempre subsistido de maneira precária, à margem da subnutrição.

COMO NÃO MUDAMOS, MUDA O CLIMA

Setembro de 2016 será inscrito na história universal como marco importante para o clima mundial.

ENSINAR OS NOSSOS FILHOS A PENSAR ANTES DE COMPARTILHAR

Enquanto pais ensinamos os nossos filhos a evitar o perigo desconhecido, por isso insistimos que na rua uma das regras é não falar, nem aceitar convites ou gratificações de estranhos; e em casa é nunca abrir a porta a desconhecidos. E, no uso da Internet não deveríamos, também, ajudá-los ativamente a identificar e evitar situações que possam ameaçar a sua segurança e privacidade? E a escola não deveria desempenhar um papel mais diligente e ativo para ajudar os alunos a compreenderem e a evitarem comportamentos inadequados “online”?

A QUESTÃO ESSENCIAL É QUE A AUSTERIDADE É UMA FORMA DE VIOLÊNCIA

Em setembro de 2008, Portugal era um país muito diferente do que é hoje. Tinha uma dívida pública de 71.7%, face ao PIB, aproximadamente metade da que tem atualmente, que é estimada em cerca de 131.6%. Passados oito anos (cinco dos quais vividos em regime de austeridade) e 78 mil milhões de euros depois o que esperar do Orçamento de Estado para 2017?

ERRADICAR A CORRUPÇÃO, A FRAUDE, O DESPERDÍCIO E O ABUSO

A corrupção é um problema que afeta a nossa democracia, diminui a capacidade de governação, adúltera as decisões administrativas, vicia transações de negócios, degrada os mecanismos e processos envolvidos na construção do bem-estar humano, bem como, corrompe o ambiente de respeito mútuo e desencoraja o cidadão.

Resumidamente, há três tipos de corrupção: a institucional, a cultural e a moral. Qualquer uma delas perverte o comportamento ético e transparente, a todos os níveis: político, económico, social e ambiental.

O DIA DA SOBRECARGA

Para o melhor ou para o pior, a nossa geração vai determinar o futuro da vida no planeta. Segundo a organização não-governamental Global Footprint Network (CFN), 8 de Agosto foi o dia em que a exploração humana do planeta ultrapassou a biocapacidade da Terra. E, a cada ano que passa este dia chega mais cedo.

Em apenas 221 dias, a humanidade esgotou teoricamente todos os recursos naturais que a Terra garante anualmente, isto é, a partir deste mês estaremos a consumir mais recursos do que aqueles que o planeta consegue renovar no espaço de um ano.

A LIÇÃO DO BUTÃO

O clima social na União Europeia (UE) está mais tenso, as pessoas estão com medo e deixaram-se apoderar por sentimentos defensivos e de desconfiança, prova disso é que após 43 anos de vida em comum, o Reino Unido decidiu abandonar a UE.

Páginas