Está aqui

Barragem de Alqueva

Barragem do Alqueva próxima de encher pela quinta vez

A Barragem do Alqueva está próxima de alcançar o quinto enchimento pleno da sua história, atingindo o armazenamento de 4150 hectómetros cúbicos (hm3) de água, à cota de 152 metros, adianta o Jornal de Notícias.

A informação foi revelada pela Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas de Alqueva (EDIA), cujos dados avançam que, esta terça-feira, o maior lago artificial da Europa, com uma área de 250 quilómetros e 1160 quilómetros de margens, armazenava 3309 hm3 (1 hm3 equivale a 1 000 000 000 litros) e estava à cota de 148,17 metros e com 79,73% da sua capacidade máxima.

Comportas de Alqueva encerraram há 19 anos e o Alentejo mudou

A 8 de fevereiro de 2002 eram encerradas as comportas da Barragem de Alqueva, dando-se início ao enchimento do maior lago artificial da europa, quase 3 décadas depois de ser ter dado início no país à discussão sobre a sua necessidade. António Guterres, na altura Primeiro-Ministro e quem deu a ordem simbólica de encerramento das comportas, defendeu na cerimónia que Alqueva era "um compromisso de solidariedade com o Alentejo".

EDP investe no Alqueva para compensar encerramento da central de Sines

À meia-noite do dia de hoje, 14 de janeiro, a central a carvão da EDP em Sines finalmente fechou as suas portas. Ao todo, são 1.256 MW de potência instalada que saem do sistema elétrico nacional, pelo menos dois anos antes do que chegou a estar previsto pelo Governo.

Alqueva vai testar sistemas de turbinas e bombas mais amigas do ambiente

Sete países, 18 milhões de euros e 15 instituições de outros cinco países, sustentam um consórcio que procura desenvolver e testar tecnologia para melhorar a eficiência de centrais hidroelétricas como o colosso de Alqueva.

As centrais hidroelétricas de Frades, Alqueva, Alto Lindoso e Caniçada vão testar novos sistemas de turbinas e bombas num projeto conhecido por Xflex Hydro, que tem um orçamento de 18 milhões de euros, é financiado pela Comissão Europeia e está a ser liderado pela Escola Politécnica Federal de Lausanne (EPFL), na Suíça.

REGADIO DE 10 MIL HECTARES PARA MOURA JÁ TEM FINANCIAMENTO GARANTIDO

Moura, no Baixo Alentejo, é o concelho com maior área banhada pelo Alqueva mas está até ao momento excluído do sistema de regadio da grande barragem, situação que parece ter os dias contados. É que com a conclusão do projeto de alargamento da área abrangida pelo sistema de regadio e com a garantia de financiamento que cobrirá 10 mil hectares, prevê-se que as obras arranquem no prazo máximo de um ano.

ESTARÁ O ALENTEJO A REGAR COM EFICIÊNCIA?

A grande barragem e o Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva mudaram não só a paisagem mas também a economia alentejana, particularmente a agricultura. E se é certo que essas mudanças aumentaram a produtividade e diversificaram a produção agrícola na região, estará a água a ser gerida com a parcimónia que merece, particularmente em anos de seca como os que estamos a viver? Serão adequadas as técnicas de regadio às culturas muito intensivas que ali se produzem?

BEJA: BARRAGEM DO ROXO ABAIXO DOS 19% DA SUA CAPACIDADE

Segundo o Sistema Nacional de Informação de Recursos Hídricos, que monitoriza as albufeiras, foram 7 as bacias hidrográficas que registaram uma redução do volume de água armazenado, e 9 delas registam armazenamento de água inferior a 40% da sua capacidade, quando comparados com os dados do mês anterior, como avança hoje a Rádio Pax.

ALQUEVA GANHA MAIS 47 MIL HECTARES DE REGADIO

A área de regadio de Alqueva vai aumentar em 47 mil hectares. Esta ampliação contará com um empréstimo de 213 milhões de euros do Banco Europeu de Investimento (BEI), no âmbito do Plano Juncker.

O anúncio deste projeto surge na mesma semana em que, segundo a Fenareg, Federação Nacional de Regantes de Portugal, 30 mil hectares cultivados no Alentejo estão em risco devido à seca.

PREÇO DA ÁGUA DO ALQUEVA CAI ENTRE 20% E 33%

O governo vai anunciar hoje a redução do preço da água da barragem de Alqueva, dando assim resposta à reivindicação dos agricultores, que sofrem particularmente neste momento com os efeitos da seca. Os preços sofrerão uma quebra de entre 20 a 33%, dependendo do tipo de fornecimento.

Para os beneficiários diretos o preço do fornecimento em alta pressão será de 0,0590 por metro cúbico, uma redução de 20% em relação ao preço anterior. A água fornecida a baixa pressão, passa a ser de 0,032 por metro cúbico, menos 33% do que estava fixado, 0,0475/m3.

ALENTEJO JÁ EXPORTA ROMÃS

A produção de romãs está a crescer no Alentejo e tem responsáveis. 4 jovens agricultores do Baixo Alentejo, com bom solo, bom tempo e, agora, água em abundância. E estas condições recentes criadas com a Barragem de Alqueva e com a vontade de empreender estão a mudar a face do Alentejo e a própria paisagem, substituindo aos poucos as culturas de sequeiro para as coloridas produções de regadio. Mas as mudanças vão mais longe. Se até há pouco o país era importador de romã, vinda sobretudo da Espanha e da Turquia, agora e a partir do Alentejo, já exporta para Espanha, Alemanha e Holanda.

Páginas