Está aqui

Quotidiano

O LOGÓTIPO

Cada vez que se sentava, a secretária tinha o cuidado de arrumar as folhas em pastas e as pastas em gavetas e as gavetas alinhadas no seu compartimento que era, no fundo, uma pequena coisa, comparada com o edifício todo. Parecia, uma pequena formiga num prédio que era um gigante formigueiro.

É FEITIO…

Há coisas que o vento deixa passar e outras coisas que a tempestade segura, agarrando-se com ventos e águas. Não é defeito, é feitio. Há pessoas que são em si uma tempestade, um turbilhão de movimentos e uma tempestade que se agita em volta de si próprio. Não seguindo todas o mesmo princípio, tornam-se estas tempestades em pequenos copos de água. Não é defeito, é feitio.

REAJUSTES DE VERÃO

Há dois momentos do ano em que nos sentimos mais capazes de mudar a nossa vida. Um é pelo Natal, final de ano, quando o frio incentiva o recolhimento e a reflexão; o outro é no verão.

Depois de seis ou sete meses aos trambolhões, o mundo parece agora afrouxar a sua marcha e haverá – por poucos que sejam – uns dias para relaxar e pensar.

Centremo-nos me como podemos aproveitar estes momentos para mudar a uma afinação e ajuste da nossa vida de modo a recarregar realmente as baterias e nos dê energia e motivação para enfrentar os desafios e lutar pelos sonhos em setembro, quando o mundo voltar à velocidade cruzeiro.

Segundo o “El País”, ao longo do ano damos prioridade aos nossos compromissos e obrigações e esquecemos quase totalmente o mecanismo que nos permite chegar a tudo.

Tentamos agir e reagir em função das urgências sem duvidar sequer um pouco em castigar o corpo: come-se comida rápida e muitas vezes fora de horas, não se dorme o suficiente, não fazemos atividades física e, no caso de muitos, descontam o stress em tabaco ou outras coisas prejudiciais à saúde.

Antes de começar já a pensar no que quer fazer no próximo outono, nos seus objetivos e metas, aproveite estes meses de calma de estival para uma reflexão profunda e renovar o seu organismo.