Está aqui

Artigos publicados

A Fraca forte

Condenada a 15 anos de prisão, Fraca já passara 12 anos nesse lugar imundo, que seriam os piores da sua vida. Iria sair em breve, em liberdade condicional. Nuca lhe passou pela cabeça poder acabar neste lugar onde cada dia era um desafio à sobrevivência. A prisão onde foi parar era a pior de todas. Conhecida amplamente por ser uma prisão de alta-segurança, agregava em aí toda a pior espécie de animais criminosos.

A sardinha e o carapau

Era uma vez um mundo que deixou de existir tal como o conhecemos. Era uma vez um país que, depois da crise que mudou o mundo, se voltou para o espaço.

Como já tinha feito há muitos anos atrás, Portugal, vendo a sua terra toda atrasada decidiu sair das suas fronteiras territoriais e rumar a novos destinos.

O carapau e a sardinha

Esta é a semana de falarmos sobre o casal de assaltantes mais famosos da região sul de Portugal, o carapau Besugo e a sardinha Bexiga. Na próxima semana, contar-vos-ei a história da sardinha e do carapau, que são personagens completamente diferentes.

O carapau Besugo e a sardinha Bexiga nasceram em zonas diferentes. Besugo nasceu em Peniche e Bexiga em Sines. Conheceram-se num intercâmbio de escolas de peixes, quando ambos frequentavam um curso técnico-profissional de engenharia de instalações.

O Golfinho Galifão

Era uma vez um golfinho nascido na Foz do Sado. Era uma figura meio raquítica quando nasceu. Terá perto de 20 e poucos anos nos dias que correm. Entre o tempo que nasceu e agora que já é um jovem adulto, Galifão, viu a sua vida ser passada entre Tróia e Setúbal, fazendo o que os golfinhos fazem, seja o que é que os golfinhos fazem na adolescência. Vocês sabem o que um golfinho faz na península de Setúbal?

O achigã

O achigã nunca nadava de noite, só de manhã. O achigã quando se vestia, sempre fazia pandan. Nos dias que estava doente, chorava pela mamã, nos dias que estava de boa saúde ou feliz, comprava um talismã.

Era um peixe diferente, um ser social que conhecia muita gente. Na barragem onde vivia, não lhe importava o frio ou quente. Era um achigã paciente que esperava só comer uma refeição decente.

A preguiça

Era um domingo de manhã. E toda a gente sabe que ao domingo de manhã eu gosto de dormir. Eu dormi imenso. Eu durmo sempre imenso. Creio que dormir é das melhores coisas que podemos fazer. Ao dormir estamos no braços de Morfeu e, nesse lugar, nada nos pode acontecer.

Era domingo de manhã e não me apetecia levantar. Queria ficar na cama o dia todo. Tenho a certeza que não me vão deixar ficar na cama. Chegará um telefonema de alguém chato, chegará um bater na porta de alguém a vender alguma coisa.

Os corvos

Profusamente conhecidos na sua área profissional e de ação, os Corvos eram um marco na sua época. Não eram dançarinos nem senhores de guerra. Eram simplesmente um grupo de rapaziada gótica que adorava passear e passar o tempo a discutir coisas profundíssimas da filosofia internacional e nacional. Os Corvos viviam em cima das árvores e eram aves que se vestiam sempre de preto. A sua adolescência fora passada em conjunto, a partilhar coisas que poucos tinham sequer pensado ou refletido.

Alfaiate

Anselmo era alfaiate. Tinha essa profissão há muitos anos. Quase tantos quantos tinha. Habituado a ser profissional, fazia do tecido existente um modelo novo. Eram peças de roupa novas e modernas que saiam do seu ateliê.

Neste mundo de Anselmo, o tecido era sempre de boa qualidade. Não tinha uma oficina fixa. Andava quase como que um alfaiate ambulante, ao domicílio. Era lá, nas casas, que fazia os modelos fantásticos.

Uma família de papagaios

Era uma larga família de papagaios, uma família tão comum como qualquer outra família, só que esta era de papagaios. Eram o papagaio, a papagaia e os papagaios pequeninos que somavam na totalidade, dez. Era uma família numerosa de 10 pessoas.

As formas de sonho do Maleão

Maleão era um nobre distinto que viveu há mais de duzentos anos. Numa terra quente e húmida, que mais tarde, muito perto dos nossos anos, se viria a reconhecer como tropical, nasceu num berço aristocrático e recusaria, na idade adulta, a ser tratado por menos nível do que a sua raiz nobre merecia.

Páginas