Está aqui

Xenofobia

A Europa entre extremos de uma corda bamba... e sem rede

A Europa está entre extremos de uma corda bamba...  sem rede , e com olhos postos na Venezuela.
 
A um Brexit aos trambulhões, junta-se a Venezuela, num cenário que, a espaços, tem mesmo recordado o clima vivenciado durante a guerra fria. Foi entre este clima internacional conturbado que lá se viu passar mais um 1º de maio, entre extremismos ideológicos idiotas, ou simplesmente eleitoralistas, e até de alguns fanatismos ou ânsia de protagonismo.
 

Exímios preconceitos

Na semana passada li um texto bastante elucidativo sobre questões semânticas, e não só, ligadas ao racismo. Nele, Isabel do Carmo interpreta a palavra racismo de modo similar à interpretação que lhe dei num texto que aqui publicado no ano transato.

A LIÇÃO DE AUSCHWITZ QUE A EUROPA NÃO APRENDEU

Se há uma semana escrevia sobre a celebração da libertação dos prisioneiros de Auschwitz, hoje escrevo - e confesso que desejava não o fazer - sobre a tentativa do governo polaco de querer branquear a História.

Foi aprovada esta semana, no senado polaco, uma lei que prevê até três anos de prisão ou uma multa para quem, na Polónia, utilize a expressão "campos da morte polacos" para se referir a campos de concentração do regime nazi, na Polónia, durante a Segunda Guerra Mundial, como é o caso de Auschwitz- Birkenau.

SIM, EU SOU RACISTA!

Sou racista porque prefiro mais umas raças do que outras. Gosto particularmente de Rafeiros Alentejanos e Labradores. E, como cada raça possui as suas singularidades, existem criadores que a tal se dedicam.

Mas não existem criadores de humanos.

Substantivo concebido para justificar a superioridade ocidental branca sobre os demais povos, o termo “racismo” há muito que deixou de ter qualquer significado racional e mesmo semântico, quando aplicado ao Homem.

ÚLTIMA HORA: BATACLAN DE DEATH METAL EM PÓVOA DE LANHOSO

Nos últimos tempos, apesar de não assistir com frequência a programas televisivos, tenho vindo a aperceber-me de que, contra as advertências da minha mãe, afinal eu tinha razão, na televisão aprende-se pouco. Para mim, é apenas um mero instrumento de lazer, por isso é que só me sento alguns minutos por semana frente ao televisor, vendo muitas vezes já para dentro (para desespero do companheiro) alguma série ou filme.

O MEDO

Às vítimas de violência xenófoba.