Está aqui

Tiago Salgueiro

Turismo e identidade

Nos últimos tempos, têm sido algumas as vozes críticas contra o excesso de turistas, porque estes desvirtuam a essência da identidade portuguesa, em várias das suas manifestações. Por esse motivos, os “visitantes” são olhados com alguma desconfiança por parte de alguns, com uma clara desvalorização do papel que as receitas originadas pelos fluxos turísticos representam para a economia nacional

FLORBELA – A grande Poetisa do Alentejo

Esta imagem foi captada hoje. Dezenas de turistas em frente à Estátua de Florbela Espanca, na Praça da República, em Vila Viçosa.

Infelizmente, continua a verificar-se, em muitos casos, um desconhecimento total relativamente ao facto da grande poetisa ter nascido na "Princesa do Alentejo", no longínquo ano de 1894.

Museu dos Cristos de Sousel - Um sonho realizado!

Foi finalmente inaugurado o Museu dos Cristos de Sousel. Trata-se de um projeto estruturante para o concelho, que concretiza uma aspiração de décadas, por parte da população local.

Em 2003, tive a oportunidade de participar nesta iniciativa e de contribuir para esta história, que conheceu vários projetos ao longo do tempo. Integrei uma das fases deste longo processo.

Tiago Salgueiro prepara livro sobre a Estrada Real entre Borba e Vila Viçosa

Marcada pela tragédia, que vitimou cinco pessoas no final do ano passado, a antiga estrada nacional 255, que ligava Borba a Vila Viçosa, conta uma história muito mais antiga, estampada numa publicação que Tiago Salgueiro, Curador Assistente da Fundação Casa de Bragança e a trabalhar em Vila Viçosa, se prepara para lançar.
 
A obra "poderá ser argumento importante na defesa da requalificação deste percurso, apontando para o aproveitamento turístico desta paisagem única"
 

Uma estrada, tantas histórias…

Muito se tem dito e escrito sobre a tragédia que recentemente afetou a Zona dos Mármores. Um acontecimento nefasto, sentido sobretudo por Borbenses e Calipolenses que, a diário, percorriam este pequeno troço que ligava as localidades vizinhas. Nós, mais que ninguém, sentimos na pele a perda dos nossos conterrâneos e partilhamos a dor das famílias e dos amigos. Algo irreparável e que nunca será esquecido.

Pelos caminhos da intolerância

A recente crise de refugiados a que temos assistido originou, por um lado, uma “onda” de solidariedade e por outro, várias manifestações de reprovação à receção destes migrantes, que fogem da guerra, da violência e da intolerância.

A hipocrisia no mundo da política

Hoje todos expressamos as nossas doutas opiniões no universo das redes sociais, a propósito de temas do quotidiano. As reflexões sobre a realidade, próxima ou distante, inspiram-nos a dar conta do que pensamos, através das palavras e das imagens. Essa crescente “democratização”, como em tudo na vida, tem um lado positivo e um lado perverso. Nem sempre os comentários são baseados em factos ou notícias reais e surgem frequentemente relatos de episódios que, em muitos casos, nunca tiveram lugar.

Património cultural em risco: Estamos preparados para eventuais catástrofes?

O incêndio de grandes proporções que atingiu o recentemente Museu Nacional no Rio de Janeiro fez levantar os sinais de alarme. As instituições detentoras de coleções patrimoniais devem ter cada vez mais a noção sobre necessidade de desenvolver mecanismos de prevenção e de resposta adequados a situações de catástrofe, que podem ter, como sabemos, efeitos devastadores.

TRUMP – Da incredulidade ao pessimismo

Não gosto de Donald Trump. Nunca me identifiquei com a sua forma de estar e com o estilo que cultivou, muito antes da sua entrada na vida política.

Quando se tornou candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, fiquei surpreendido, pensando que se tratava de mais um episódio caricato, semelhante ao exemplo vindo do Brasil, quando o célebre humorista Tiririca se propôs a ser deputado federal por São Paulo em 2010. Ou seja, não era para levar a sério. Ou, para engano meu, talvez fosse.

Coria Del Rio e o Alentejo – A História, como alavanca do desenvolvimento turístico

Coria del Rio é uma pequena cidade da Andaluzia, a cerca de 20 quilómetros de Sevilha, localizada nas margens do rio Guadalquivir. Tem cerca de 30.000 habitantes e uma curiosa história de ligação ao Japão.

De facto, cerca de 600 desses habitantes, com o apelido “Japón”, descendem diretamente dos samurais que por aqui passaram, integrados na Embaixada Kensho, em 1614. Esta missão, enviada para negociar um tratado de comércio com o Rei espanhol Filipe III (segundo de Portugal), foi chefiada por um nobre japonês, Hasekura Tsunenaga.

Páginas