Está aqui

Robert Downey Jr.

CAPITÃO AMÉRICA: GUERRA CIVIL

Aquilo que muitos poderão descrever como “equilíbrio” completo de um grande filme, recheado de ação, coberto com um molho de drama e polvilhado de um tempero cómico, eu prefiro achar chamar de monocromático, liso, plano, flat. É verdade que, sobretudo dentro das sagas feitas pela Marvel Studios, pertencente à Walt Disney Pictures, este embate entre super-heróis é soberbamente interessante, e aqui consegue fugir a um simples desenrolar de pirotecnia e efeitos visuais digitalizados. Contudo, quando um filme se propõe a ser tudo pode acabar por não ser nada. Capitão América: Guerra Civil (2016, real. Anthony Russo, Joe Russo) é um filme que procura posicionar-nos entre as motivações de todos os heróis, cujo controlo dos seus superpoderes está em risco, evitando muito bem cair em maniqueísmos. Através de vários capítulos de vista de cada uma das personagens principais, percebemos que o equilíbrio dos argumentos advém não da sua tomada de posição, mas da responsabilidade árdua dos seus atos, mesmo quando procuram “fazer o bem”. Ainda assim, essa jornada épica de motivações e conflitos, resulta melhor quando assistimos previamente os restantes oito filmes.