Está aqui

Proteção Civil

Serpa: Serviço Municipal de Proteção Civil tem novas instalações

As novas instalações do Serviço Municipal de Proteção Civil de Serpa foram inauguradas esta semana pela Câmara Municipal.

Nesta inauguração, estiveram presentes, de acordo com o município, João Efigénio Palma, presidente da Câmara Municipal, Carlos Alves, vice-presidente da Câmara e a quem está atribuída a responsabilidade da proteção civil, os vereadores e outros convidados.

Portalegre entre os distritos mais afetados pelo mau tempo

A Proteção Civil registou 2 097 ocorrências relacionadas com a meteorologia adversa, entre as 14:00 de quinta-feira e as 8:00 desta segunda-feira, adianta a agência Lusa.

O número de ocorrências está, sobretudo, ligado com quedas de árvore (901 intervenções), inundações (494), limpezas de via (334), queda de estruturas (302) e movimentos de terras (60).

Almodôvar recebe Grupo de Reforço para Incêndios Florestais

Almodôvar recebeu esta semana um Grupo de Reforço para Incêndios Florestais (GRIF), avança a Rádio Pax.

Segundo a Câmara Municipal de Almodôvar, operacionais de várias corporações de Bombeiros vão ficar no município para reforço da zona sul do país, apontando a sua chegada como “uma mais-valia para todas as corporações da região”.

A autarquia revela ainda que a estratégia, a ser aplicada na íntegra, prevê a certificação do heliporto de Almodôvar para receber um helicóptero da Proteção Civil.

Governo destina 40 milhões de euros para Emergência e Proteção Civil

O Governo vai investir 40 milhões de euros na área da Administração Interna, mais concretamente no sistema de Emergência e Proteção Civil, que tem sido uma das prioridades do ministério, e que se materializa no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

Criado o novo Comando Regional de Proteção Civil do Alentejo

Já foi criado por despacho em Diário da República o Comandos Regionais de Emergência e Proteção Civil do Alentejo. Sediado em Évora, será um só comando para toda a área geográfica alentejana e este é um dos cinco comandos nacionais no novo modelo territorial do sistema de proteção civil.

Não há memória de um mês tão quente

Dados do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) revelam que o passado mês de julho foi mesmo o mais quente desde que existem registo, desde 1931, há 89 anos.

O Boletim Climatológico de julho 2020 revela que, em julho, o valor médio da temperatura máxima do ar foi de 33,34°C - 4,61°C acima do normal - existindo também um agravamento da área em seca meteorológica.

A temperatura média do ar foi de 25,08°C, quase 3ºC acima do valor habitual e para o qual se considera de 1971 a 2000 como valor padrão.

Portalegre em risco máximo de incêndio e Alentejo sob aviso amarelo

O distrito de Portalegre encontra-se em risco máximo de incêndio, enquanto a restante região do Alentejo apresenta risco muito elevado a elevado de incêndio. Já o aviso amarelo devido à persistência do calor mantém-se durante o dia de hoje nos distritos de Portalegre, Évora, Beja.

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), este aviso irá vigorar até às 21h de domingo, dia 26 de julho. As temperaturas máximas vão chegar aos 38 graus em Évora, 37 graus em Beja e 35 em Portalegre.

Covid-19: Mora criou centro de apoio com 44 camas

Devido aos efeitos do Covid-19, a Câmara Municipal de Mora criou um centro de apoio, com 44 camas, e que servirá de apoio e alojamento aos bombeiros voluntários locais e à proteção civil.

Das 44 camas deste centro - instalado na casa do povo da localidade - 30 foram cedidas pela Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE); as outras 14 são pelos Bombeiros Voluntários de Mora.

Odemira lança simulacro de defesa das aldeias dos incêndios

As aldeias de Lameiros, na Freguesia de S. Luís, e Vale Ferro, na Freguesia de Relíquias, no concelho de Odemira, vão ativar Simulacros do Programa “Aldeia Segura, Pessoas Seguras”, hoje, dia 23 de julho, a partir das 15.00 horas. 

Última hora: estrada abate entre Borba e Vila Viçosa; 5 desaparecidos

Esta tarde, por volta das 15h45, desabou um troço da Estrada Nacional 255 (EN 255) e que liga Borba a Vila Viçosa.

É uma estrada de paralelos que está cercada em grande parte do seu recorrido por pedreiras; este aluimento terá atingido entre 300 a 500 metros de estrada.

Trabalhadores de uma pedreira terão sido soterrados por este abatimento massivo de terras e estimam-se que estejam 4 a 5 pessoas desaparecidas, uma viatura ligeira e uma retroescavadora submersas.

Páginas