Está aqui

Política

“Bons” políticos, maus gestores

O governo acaba de fazer com mestria aquilo que sabe fazer melhor: gerir os parceiros desta geringonça informal. Não é razoável acreditar que não esteja há já muito tempo previsto o aumento extraordinário das pensões mais baixas, nem que os aumentos na função pública se fiquem pelos 0,3%. O que o governo fez foi dar o que era preciso dar para ver o orçamento aprovado na generalidade, guardando na manga as cartas necessárias para a aprovação na especialidade.

Incêndios Austrália vs Incêndios Amazónia 

A Austrália viveu recentemente uma das suas piores temporadas de incêndios florestais, alimentados por temperaturas elevadíssimas e meses de seca extrema.

Os incêndios na Austrália consumiram quase 8 milhões de hectares (equivalente a quase a totalidade do território português), provocaram 24 mortos e mais de 1300 casas ardidas.

Orçamento Municipal de Évora 2020 e a crónica de uma abstenção

«Todas as verdades são fáceis de perceber depois de terem sido descobertas; o problema é descobri-las.» in Galileu

 

            No passado dia 27 de Dezembro, nas cinzas do ano velho de 2019, foi apresentado, discutido e votado o Orçamento Municipal de 2020 acompanhado das Grandes Opções do Plano – GOP de 2020. No período disponível para encetar essa discussão, tive oportunidade de apresentar os motivos que levavam ao voto da coligação AFIRMAR ÉVORA 2017 sobre esse importante e estratégico documento de gestão municipal.

A tradição já não é o que era

Sim, a tradição já não é o que era. Há muitos motivos que demonstram que a tradição mudou.

Recentemente discutiram-se na Câmara Municipal de Évora e na Assembleia Municipal de Évora os documentos previsionais para 2020, nomeadamente o Orçamento e as Grandes Opções do Plano (GOP).

Como a CDU não tem a maioria absoluta na Assembleia Municipal, necessita de negociar com outros partidos no sentido de viabilizar os referidos documentos previsionais e operacionais. Nos últimos 2 anos os documentos previsionais foram viabilizados pelo Partido Socialista (PS).

Um Natal Pobrezinho Também Por Estes Lados!

1 - A Crónica Falta de Enfermeiros no Distrito de Évora 

 

Segundo a Secção Regional Sul da Ordem dos Enfermeiros, quase todas as unidades de saúde do distrito de Évora têm falta de enfermeiros.  Um dos casos denunciado é referente ao serviço de Urgência Básico de Montemor-o-Novo que tem apenas um médico e uma enfermeira.

Situação, esta, que denunciei há quase dois anos atrás. Tudo na mesma!

A degradação do Serviço Nacional de Saúde no Distrito de Évora é uma realidade extremamente preocupante!

Colaboração premiada só peca por tardia

Confesso que já tinha saudades de concordar com o PS em alguma coisa, depois destes quatro anos a desviar o país das melhores práticas europeias em matéria de economia, fiscalidade e sobretudo administração pública.

Em Évora, PCP defende regionalização até 2021

Foi a abrir as jornadas parlamentares dos comunistas, no Teatro Garcia de Resende, em Évora, que o secretário-geral do partido, Jerónimo de Sousa desafiou o governo a aplicar a regionalização em dois anos.

O PCP vai apresentar uma proposta para a criação das regiões administrativas com um calendário que visa a sua concretização até eleições autárquicas de 2021.

Saúde: o Estado que queremos

O estado da saúde em Portugal é sintomático da impossibilidade política de escolhermos o melhor de dois mundos. O PS optou por comprar os votos dos funcionários públicos com um horário de trabalho reduzido e um salário mínimo superior ao dos trabalhadores do privado, os portugueses optaram por votar no PS, e o Estado optou por comprometer os cuidados de saúde para pagar os votos comprados. A política é feita de opções.

Évora tem de ser uma Cidade “Inteligente”

Quando habitualmente falamos em cidades “inteligentes”, internacionalmente denominadas smart cities, é vulgar pensarmos em cidades muito desenvolvidas tecnologicamente. Pensar isso, não me parece nada correto. A tecnologia é meramente instrumental para tornar as cidades mais operacionais, quer seja numa grande metrópole, quer seja numa cidade de menor dimensão.

Defender os Bombeiros de Borba também é defender as minorias

Recentemente os Bombeiros de Borba foram alvo de um ataque completamente inédito. É a primeira vez que vejo algo do género: um ataque físico aos “soldados da paz”. Que mundo louco!

Soube-se imediatamente que os responsáveis desse ataque foram um grupo de pessoas da etnia cigana. É claro, ao juntarem-se esses ingredientes a confusão ficou instalada. E a dimensão muito mais reforçada.

Para mim, pouco interessa se os responsáveis são, ou não, da etnia cigana. Interessa sim, saber se o Estado de Direito está, ou não, a ser cumprido na sua plenitude.

Páginas