Está aqui

Política

Propaganda enganosa na reprogramação dos Fundos Comunitários 2020

Este Governo não se cansa de utilizar a máquina da propaganda para enganar os portugueses. O anúncio da reprogramação dos fundos comunitários é só mais um exemplo.

Esta é uma das maiores diferenças entre o Dr. António Costa e o Dr. Rui Rio. O Dr. António Costa vive para a sobrevivência artificial, para os holofotes, para a propaganda. O Dr. Rui Rio vive para a resolução dos problemas das pessoas, sem artificialidade, sem maquilhagens propagandísticas e televisivas.

Tempos Difíceis na Zona dos Mármores

Há poucos dias atrás tivemos um grave desastre na estrada 255 que liga Vila Viçosa a Borba. Parte desta estrada desapareceu, levando consigo alguns dos nossos concidadãos que por ali circulavam tranquilamente.

Esta é de facto uma situação que muito me entristece! A perda extemporânea de pessoas é sempre algo terrível. Neste caso, é mesmo muito grave! Quando acontece próximo de nós, tudo ganha maior relevância!

O Hospital Central do Alentejo em Évora e o Orçamento de Estado de 2019

Bem tentei encontrar uma referência à construção do Hospital Central do Alentejo em Évora no Orçamento de Estado para 2019. Mas não encontrei!

Podia ser um problema de vista, mas nem com uma lupa o consegui descobrir. Nem com uma candeia bem acesa consegui vislumbrar tão importante investimento.

Foi neste sentido que questionei a Sra. Ministra da Saúde em Audição sobre o Orçamento de Estado para 2019.

AMAlentejo recorda Sim do Alentejo à regionalização

Na passada quinta-feira, decorreram vinte anos da realização do Referendo sobre a Regionalização.

A AMAlentejo recordou que, há 20 anos, o Alentejo foi a única região do país que votou pelo “Sim” à regionalização e pela criação da Região Administrativa do Alentejo.

Em comemorações que decorreram na Casa do Alentejo, em Lisboa, José Soeiro, da AMAlentejo, referiu que esta é uma nova oportunidade de se olhar para o Interior e que devem ser assegurados os investimentos necessários e que deve ser debatida a criação da CRA - Comunidade Regional do Alentejo.

 

Orçamento de Estado 2019 - Poucas políticas para o interior

As palavras interior e valorização do interior andam sempre na ponta da língua deste Governo. O problema são as práticas, ou melhor, a falta delas.

Vale a pena explicar aquilo que o Governo não faz, nem apresenta no Orçamento de Estado para 2019, nomeadamente em matéria de políticas para a valorização do interior.

É importante relembrar o que se passou em 2017: O País teve 2 grandes catástrofes. Dois grandes incêndios que devastarem grande parte do interior do País.

Mas “ele não” porquê?

Desta vez, o Brasil é foco e não é pelos golos e fintas do Ronaldinho ou pelo Carnaval do Rio. Os olhos do mundo – passadas três semanas da primeira volta – voltam a estar postos no “país irmão“ porque a escolha do Brasil, com uma polarização do eleitorado nunca antes vista, vai recair num de dois nomes: Jair Bolsonaro (PSL -) ou Fernando Haddad (PT – Partido Trabalhista).

À hora que escrevo o Brasil estará já em reflexão para escolher quem o liderará nos próximos anos. À hora que está a ler este editorial, o Brasil já vota para escolher o próximo Presidente.

Problemas na área da Saúde continuam a agravar-se no Alentejo

Um exemplo de graves problemas na área da saúde que pode ser dado é a falta de pedopsiquiatras no Alentejo.

“O Alentejo tem apenas dois pedopsiquiatras - os mesmos que já prestavam serviço na região em 2017 - mas os distritos de Évora e Portalegre encontram-se totalmente a descoberto nesta especialidade da psiquiatria. A região debate-se ainda com a falta de equipas multidisciplinares e de camas para o internamento”. É assim que começa uma notícia num dos órgãos de comunicação social de referência no Alentejo.

A hipocrisia no mundo da política

Hoje todos expressamos as nossas doutas opiniões no universo das redes sociais, a propósito de temas do quotidiano. As reflexões sobre a realidade, próxima ou distante, inspiram-nos a dar conta do que pensamos, através das palavras e das imagens. Essa crescente “democratização”, como em tudo na vida, tem um lado positivo e um lado perverso. Nem sempre os comentários são baseados em factos ou notícias reais e surgem frequentemente relatos de episódios que, em muitos casos, nunca tiveram lugar.

O Aeroporto de Beja tem de ser uma âncora para o desenvolvimento do Alentejo

Há poucos dias atrás tive a oportunidade de colocar algumas questões ao Presidente Executivo da ANA - Aeroportos de Portugal sobre a falta de aproveitamento do Aeroporto de Beja.

Esta oportunidade não podia ser desperdiçada! Parecia-me fundamental tentar perceber, através de um dos principiais protagonistas do setor, qual o seu pensamento sobre esta matéria.

No sentido de tentar perceber o que é que a ANA pretende fazer com o Aeroporto do Beja, coloquei-lhe as seguintes questões:

1 - Há alguma aposta para passageiros?

2 - Há algum investimento nesse sentido?

Pacheco Pereira

Pacheco Pereira: A devassa de um modo de vida sob a forma de homenagem (que o visado não precisa e, estamos certos, tão pouco ambiciona).

 

Pelo menos Pacheco Pereira (PP) diz o que pensa!

Diz o que diz para lá da conveniência partidária ou do, e aqui sejamos convenientes, espírito da sua época.

Não é escravo da direita ou da esquerda - não defende em exclusivo as posições que melhor se adequam a qualquer dessas tendências. E não se inibe de opiniões fortes, pelo que nem sempre o centro é o seu projecto.

Páginas