Está aqui

Poesia

O som do Calor

Por Ricardo Jorge Claudino

 

 

 

O SOM DO CALOR

Chega o verão
E logo se impõe à primavera;
Assim fosse eu
De firme decisão
Perante a sombra da quimera.

 

— O calor do Alentejo é diferente.
Não me espanta tal afirmação;
Ainda assim há gente que não entende
E que apoquentados vivem
Pela indubitável unicidade desta região.

 

Arado

Por Ricardo Jorge Claudino

 

ARADO

Arar, fertilidade mútua

De quem semeia

O que a terra dá

Genuína permuta.

 

Abençoado arado

Dentes enxadas

Rompendo veios

Aldeia

Vinte e cinco casas

três ruas

duas travessas

o largo da igreja

o sino que toca, de hora em hora,

descansa na madrugada silenciosa.

 

Há sons que caminham

pelas estradas não alcatroadas,

de terra batida, de calçada.

Apanhaste-me

Apanhaste-me. Deste-me a mão e eu saí da poça em que me mantia afogada. A luz decidiu revelar-se de novo. Passado tanto tempo; cumprimentei-a. Aqueceu-me. Transmitiu-me segurança e conforto.

Sorri.

Estava numa dança lenta e apaixonada com ela.

Ainda com a minha mão entrelaçada na tua, guias-me por novos caminhos; não que eu não os tivera conhecido antes. Mas agora, observo noutra perspectiva.

Explodo gratidão. Por ti. Por nós. Pelo que temos, e iremos ter.

Preto

Preto.

O caminho está colorido com um preto delicado e eu estou perdida.

De repente

estou numa casa.

Nunca tinha chegado a esta casa. Sempre estivera muito distante. Há quadros pendurados que gritam agressivamente comigo. Lâmpada que ameaçam tocar na minha face. Uma corrente de ar abraça o meu pescoço. Sou facilmente invadida por maus pressentimentos.

Continuo perdida.

Tento agora caminhar. Voltar à vida. Dou dois passos. Será que consigo subir as escadas?

ODEMIRA EM TRIBUTO A ARY DOS SANTOS

Odemira vai homenagear o poeta e declamador português José Carlos Ary dos Santos com o espetáculo “Somos Ary – Tributo a José Carlos Ary dos Santos”.

O tributo vai ser realizado no dia 8 de abril, pelas 21.30 horas, no Cineteatro Camacho Costa, em Odemira, e está inserido nas comemorações “Abril em Odemira”. As entradas serão gratuitas.

 “Somos Ary” será um espetáculo irreverentemente diferente e marcado pela música e canções escritas pelo poeta e que se misturarão com performances poéticas e outras experiências sensoriais.

POESIA DE MANUEL DA FONSECA EM MÚSICA

Paulo Ribeiro, músico bejense, está prestes a lançar o seu 4º álbum. O primeiro single deste novo trabalho, “Tu e eu meu amor”, já foi dado a conhecer. O lançamento do álbum está previsto para o início de 2017.

Paulo Ribeiro, no single que deu a conhecer, conta com a participação da atriz Ana Lúcia Magalhães e com a participação de outros músicos: Jorge Moniz na bateria, piano e teclados, João Vitorino e Pedro Vidal nas guitarras, Luís Barrigas nos teclados e João Custódio no contrabaixo.

POESIA DE JOSÉ RÉGIO INVADE PORTALEGRE

José Régio "volta" a Portalegre, no próximo dia 21 de Março, Dia Mundial da Poesia, numa iniciativa da Fundação INATEL, que o homenageia José Régio. As comemorações terão início pelas 16h30, na Praça da República e no Café Concerto do CAEP, que acolhem as atividades onde a população será desafiada a traduzir a poesia e o colecionismo do autor, através da pintura, desenho e escrita, culminado numa instalação que será exibida no final do espetáculo.

NO REMANSO DAS PALAVRAS INQUIETAS

“E sabem a mosto, a sol… a vida
a insónia, a boémia… a poetas
estes versos feitos à medida,
no remanso das palavras inquietas”

CINEMA

O município de Sines assinou um protocolo de colaboração com a produtora Ukbar Filmes, no montante de 10 mil euros, por fim a apoiar a escrita, desenvolvimento e reescrita do projeto de filme do realizador sobre o poeta Al Berto, ambos naturais de Sines.

Assinado no passado dia 7 de Abril, o mesmo é justificado pela autarquia pelo inequívoco interesse do filme para a projeção da imagem de Sines e da obra de dois criadores de Sines.

Páginas