Está aqui

Pandemia

Mercados mensais reabrem em Moura mas com regras apertadas

A partir de 5 de setembro de 2020 voltarão a ser realizados os habituais mercados mensais no Parque Municipal de Feiras e Exposições em Moura. Interrompidos por causa da pandemia, os mercados mensais voltam a reabrir em Moura mas com regras apertadas.

Évora está a usar redes sociais e rádios para fazer chegar cultura à população

A nova realidade criada com a pandemia e as limitações impostas pelo controlo da propagação do vírus atingiram transversalmente o planeta. O setor cultural e artístico tem sido um dos mais atingidos, com cancelamentos sucessivos de espectáculos e festivais, a que Évora não foi alheia.

Ali o município diz ter assumido o papel de apoiar agentes e artistas para minimizar prejuízos, "gerando trabalho para criadores e técnicos locais que viram toda a sua vida profissional cancelada e, ao mesmo tempo, levar as artes a casa das pessoas".

Agricultores elogiam pacote de apoios de 18 milhões para os vinhos

O Gabinete da Ministra da Agricultura está a avançar hoje que foi aprovado o reforço do pacote de medidas de crise de apoio ao setor dos vinhos para 18 milhões de euros, verificando-se um incremento de 10 para 12 milhões de euros para a medida de destilação e de 5 para 6 milhões de euros para o armazenamento.

Em relação à medida de destilação, a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) já reagiu e salienta que esta contempla aumentos diferenciados para os vinhos com denominação de origem, com indicação geográfica e também para os vinhos provenientes de zona de montanha. 

Contos breves no tempo curvo - Hamza

Há três semanas atrás eu já não aguentava mais.

A minha vida quotidiana com o ser que habita o meu espelho tornara-se impossível. Ele zombou de mim como se fôssemos Groucho e Harpo Marx, com piadas que só a ele faziam rir.

Será que nos dizem a verdade?

Por muito que queira dar asas à imaginação e tentar escrever sobre outros assuntos, eventualmente mais optimistas ou consensuais, é difícil escapar à questão da pandemia. Infelizmente, os dias passam e parece não haver uma luz ao fundo do túnel.

Lisboa e o país real

Há décadas que Portugal é acusado de ter um Estado centralista e egocêntrico, em que muitos dos principais decisores políticos não conhecem a realidade dos portugueses espalhados pelo país, e em que a concentração de poder em Lisboa serve de garantia para que o controlo do Estado não se perca das mãos dos mesmos poucos de sempre.

Quem ouviu o presidente da Câmara de Lisboa referir-se na televisão ao concelho de Ovar, dizendo que era mais pequeno do que uma freguesia de Sintra, percebe a falta de pudor com que esta arrogância bacoca e ridícula é assumida.

Mas há ainda pior.

Autarquias vão usar cada vez mais o teletrabalho, indica estudo

Está demonstrado que a pandemia do Covid 19 levou as autarquias portuguesas a utilizar massivamente canais digitais para comunicar com os munícipes. Quem o diz é um estudo do grupo YoungNetwork, que apresenta o primeiro estudo sobre o impacto da Covid-19 nas Autarquias Portuguesas, analisando a forma como comunicaram, como se adaptaram à nova realidade no dia-a-dia e como perspetivam o futuro pós-pandemia.

Controlo na fronteira com Espanha mantém-se até ao final do mês

Portugal e Espanha vão manter, até ao dia 30 de junho, o controlo de pessoas nas fronteiras entre os dois países, no âmbito das medidas de combate à pandemia da doença COVID-19, avança em nota enviada às redações o Ministério da Administração Interna.

A decisão de manter esta reposição de controlo nas fronteiras, foi concertada entre o Governo da República Portuguesa e o Governo do Reino de Espanha, e resulta da avaliação da situação epidemiológica na União Europeia, atendendo igualmente às medidas propostas pela Comissão Europeia.

Sim, isto é, não. O jantar não foi bom - Crónicas de um médico italiano em tempos de pandemia

 

Espelho: Vejo que estás muito bem hoje de manhã

Eu: Obrigado.

Espelho: Nitidamente o jantar com salada, tomate, pepino, fruta fez-te bem.

Eu: Sim, foi um bom jantar. Mas o que vais me dizer, isómero de má sorte? Quando começas assim, é porque queres estragar o meu dia.

Espelho: Mas não! Eu estava simplesmente a indagar como te sentes, quando comes frutas e legumes.

Eu: Faz-te entender ou cala a boca!

Desconfinamento: receio de comer fora, fazer ginásio e andar de transportes

Os portugueses vivem a época de desconfinamento com receio. A maioria declara temer voltar a frequentar cafés, restaurantes e bares; de usar os transportes públicos; e aponta um período entre um e dois meses para voltar à normalidade. Estas são conclusões de um estudo conjunto da Multidados – The Research Agency e da Guess What.

Regresso a restaurantes só daqui a um mês

Páginas