Está aqui

Oliveira

SECA PROVOCA MENOS AZEITONA E MENOS AZEITE

Sendo o Alentejo o maior produtor olivícola nacional, já seria expectável que a seca que atravessa a região tivesse reflexo na quebra da produção de azeite e de azeitona, mais pela necessidade de colher mais cedo que pela quantidade.

Colhendo a azeitona numa fase de maturação precoce – para evitar que as azeitonas se estraguem devido à seca e às altas temperaturas que tem marcado setembro e outubro – a mesma não apresenta a mesma qualidade e produtividade que colhida na fase habitual.

MOURA VÊ NASCER CENTRO DOCUMENTAL DA OLIVEIRA

Um investimento de 2.770.000 euros, com recurso a Fundos Comunitários - comparticiparão em 85% - vai fazer nascer em Moura o “Centro Documental da Oliveira”, no edifício

Este centro estará articulado com a Biblioteca Municipal e com o CEPAAL - Centro de Estudos e

Promoção do Azeite do Alentejo, beneficiando da proximidade do Jardim das Oliveiras e do Lagar de Varas do Fojo.

ALENTEJO PRODUZ QUASE TODO O AZEITE DO PAÍS

Das 100 mil toneladas produzidas no país, na última campanha olivícola, 76% são de origem alentejana. A produção do Alentejo na campanha de 2015/2016 pode assim representar cerca de 230 milhões de euros, apenas tendo em conta a venda a granel e excluindo o valor acrescentado, no embalamento e da marca, segundo Henrique Herculano, do Centro de Estudos e Promoção do Azeite do Alentejo.

O MELHOR AZEITE NACIONAL ESTÁ NO ALENTEJO

“Nem só de pão vive o homem”, e no Alentejo convém besuntá-lo em azeite. E o melhor do azeite nacional estará reunido em Moura, na XIV Olivomoura – Feira Nacional de Olivicultura, de 12 de maio até dia 15 de maio, inserida na Feira de Maio. Onde terão lugar o II Congresso Nacional do Azeite, o Concurso Nacional de Azeite do Alentejo, a entrega do Prémio de Mérito Académico Olivomoura 2016, provas comentadas de azeite e showcookings, entre outras atividades.